Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Empate do Benfica agrava pressão sobre Rui Vitória

Benfica empatou com o Ajax e hipotecou praticamente a possibilidade de continuar na Champions.
Octávio Lopes 8 de Novembro de 2018 às 01:30
Jonas
Grimaldo disputa a bola com Ziyech no Benfica - Ajax
Jogadores do Benfica celebram golo marcado ao Ajax
Momento do jogo Benfica - Ajax
Jogadores do Ajax celebram golo marcado ao Benfica
Benfica
Jonas
Grimaldo disputa a bola com Ziyech no Benfica - Ajax
Jogadores do Benfica celebram golo marcado ao Ajax
Momento do jogo Benfica - Ajax
Jogadores do Ajax celebram golo marcado ao Benfica
Benfica
Jonas
Grimaldo disputa a bola com Ziyech no Benfica - Ajax
Jogadores do Benfica celebram golo marcado ao Ajax
Momento do jogo Benfica - Ajax
Jogadores do Ajax celebram golo marcado ao Benfica
Benfica
Onana - ora aqui está o nome de um jogador que o Benfica, versão 2018/19, não esquecerá. Isto porque, no último instante do jogo desta quarta-feira, o guarda-redes do Ajax parou com o pé direito um remate de golo, na área, de Gabriel.

Logo a seguir, o árbitro apitou para o final da partida. Nas bancadas da Luz ouviram-se logo assobios e viram-se lenços brancos, em mais um momento de contestação a Rui Vitória. O Benfica tinha empatado (1-1) com o Ajax e, praticamente, hipotecado a possibilidade de chegar aos ‘oitavos’ da milionária Champions.

Numa partida quezilenta, aqui e ali bem jogada, as águias entraram a ter bola e logo no minuto 2 uma escapadela de Grimaldo foi culminada com um remate à figura de Onana. Cinco minutos depois, Onana desviou com dificuldade para canto um remate de Cervi, que lhe apareceu na frente após triangulação com Salvio.

Seguiram-se largos minutos com a bola a não entrar nas áreas. Ajax e Benfica travaram uma enorme luta no meio-campo, com inúmeros passes errados. As duas equipas jogaram em 4x3x3, mas, neste período, era do tipo ‘todos a correr para atacar quem tinha bola’, tal a pressão que exerciam.

E foi por causa da pressão que o Benfica marcou. Jonas ‘atacou’ Onana, que aliviou para fora. Salvio fez o lançamento de linha lateral. Rúben Dias, Jardel e Onana não chegaram. Jonas ficou com as sobras. Parou a bola com o peito e fez o 1-0.

Logo a seguir, Grimaldo fez um centro bem medido para Jonas. A cabeçada saiu fraca e à figura de Onana. Perto do intervalo, o Ajax acordou da letargia atacante. Conseguiu dois livres. Em ambos brilhou Odysseas. No segundo, porém, o golo do empate só não subiu ao marcador porque Rúben Dias safou a recarga de Tadic e De Beek atirou ao lado.

A 2ª parte teve mais Ajax até aos últimos minutos. Mas o Benfica podia ter ampliado logo aos 53’. Gabriel ganhou um duelo, correu para a área e falhou o passe para o isolado Cervi. Um desperdício. Os jovens holandeses não tremeram.

Cresceram e fizeram o 1-1, por Tadic, que ganhou despiques a Rúben Dias e Odysseas, após um magistral passe de Ziych. Na resposta, Grimaldo fintou dois e estourou contra as mãos de Onana. Zeferovic também esbarrou em Onana. Tal como Rafa e Gabriel, este no último suspiro do encontro.

Pelo meio, Rafa protagonizou algumas correrias para a área, finalizadas com perdas de bola e centros sem sentido.

Contestação em crescendo
Aumentou a contestação a Rui Vitória após o empate frente ao Ajax em pleno Estádio da Luz, com centenas de adeptos do Benfica a mostrarem lenços brancos ao técnico.

O descontentamento com a exibição e principalmente o resultado que compromete o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões levou muitos adeptos a abandonarem o estádio ainda antes do final do jogo, num claro sinal de descontentamento e aviso a Luís Filipe Vieira.

O presidente dos encarnados tinha dito, numa entrevista, após a derrota com o Belenenses, que lhe tinha custado mais ver adeptos a abandonarem o estádio ao intervalo do que o resultado.

A equipa de Rui Vitória voltou a não ganhar. Há quatro jogos consecutivos que não sabe o que é vencer. Começou este ciclo com uma derrota na Holanda (1-0), perdeu com o Belenenses (2-0) e com o Moreirense (3-1) e ontem empatou (1-1).

Empate compromete apuramento para os oitavos de final
O Benfica comprometeu o apuramento para os oitavos de final da Champions ao empatar com o Ajax. A equipa de Rui Vitória está agora obrigada a ganhar os dois próximos jogos, frente ao Bayern em Munique (dia 27) e na Luz com o AEK de Atenas (dia 12 de dezembro), e esperar que o Ajax não conquiste mais do que um ponto (um empate em dois jogos).

O Bayern Munique lidera com dez pontos e tem a qualificação praticamente garantida.

ANÁLISE 
Ajax e Onana
O Ajax provou ser uma equipa com muito talento, frente a um Benfica que nunca virou a cara à luta e que só não ganhou porque encontrou pela frente um guarda-redes (Onana) que, após um erro, compensou com defesas de nível elevado.

Pontaria das águias
O Benfica criou lances suficientes para bater o Ajax. É certo que os holandeses sabem trocar e esconder a bola, mas as águias mostraram, outra vez, uma enorme falta de pontaria em lances que na Champions não podem ser desperdiçados.

Demorou nos cartões
Gianluca Rocchi fez um trabalho razoável. Seguiu o jogo de perto e não pactuou com quedas simuladas. Na área ou fora dela. Só demorou a mostrar cartões. A violenta entrada de De Ligt sobre as costas e cabeça de Jonas devia ter sido admoestada.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)