Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Empate justo entre vizinhos

O duelo entre as duas únicas equipas algarvias dos campeonatos profissionais terminou com um empate justo (1-1): o Olhanense esteve na frente do marcador e viu o adversário ficar reduzido a dez unidades ainda na primeira parte, mas o Portimonense mostrou notável atitude no segundo tempo e acabou por merecer a divisão de pontos.
7 de Novembro de 2005 às 00:00
Vasco Matos (Olhanense) tenta passar por Rúben (Portimonense)
Vasco Matos (Olhanense) tenta passar por Rúben (Portimonense) FOTO: Carlos Almeida
Viveram-se emoções fortes nos primeiros minutos, com o árbitro Olegário Benquerença a assinalar uma grande penalidade para cada lado, na sequência de lances em que Lameirão e Rui Ribeiro usaram as mãos para jogar a bola. Serjão viu Bruno Veríssimo defender (3’) e Toy (5’) não falhou.
Pouco depois (9’), um lance na área do Portimonense, entre Marinho e Toy, deixou dúvidas, com Benquerença a mandar seguir, numa fase em que os forasteiros pareciam aturdidos pelos acontecimentos dos primeiros minutos. Aos poucos, porém, a turma de Diamantino Miranda foi despertando para o jogo e Bruno Veríssimo evitou o empate, num desvio de Artur Jorge.
A expulsão de Luís Marques (acumulação de amarelos) deixou a turma de Portimão em situação complicada – a perder e com menos um – mas a equipa surgiu muito bem no reatamento, perante um Olhanense estranhamente retraído e sem chama, que só esporadicamente (embora com perigo, diga-se) explorava o contra-ataque.
A coragem mostrada pelo Portimonense teve como prémio o empate, num livre apontado por Marco Abreu (jogador do Olhanense na época passada). A bola tabelou num elemento da barreira e Bruno Veríssimo nada pôde fazer.
BEIRA-MAR MANTÉM LIDERANÇA
O Olhanense, depois do empate a uma bola no dérbi algarvio com o Portimonense, atrasou-se no topo da tabela, já que o Beira-Mar e o Sp. Covilhã venceram ontem os seus compromissos e mantiveram a 1.ª e 2.ª posições na Liga de Honra, respectivamente. A formação aveirense, liderada por Augusto Inácio, manteve assim um ponto de vantagem para o conjunto beirão.
O Estoril, por seu lado, não aproveitou o deslize do Olhanense para chegar à 3.ª posição, já que não foi além de um nulo no terreno do Maia. Na cauda da classificação, o D. Chaves mantém-se ‘lanterna vermelha’, com apenas seis pontos, depois do 0-0 na Póvoa do Varzim. A formação flaviense está a apenas dois pontos do penúltimo, o Barreirense, que perdeu em Ovar por 1-0.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)