Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Equilíbrio dá nulo ao intervalo

Pólvora seca. Quarenta e cinco minutos não foram suficientes para Sporting ou Benfica darem cor ao resultado no clássico de Alvalade. O domínio da partida tem sido dividido, mas as oportunidades criadas acabaram longe das redes protegidas por Rui Patrício e Quim.


28 de Novembro de 2009 às 22:08
Equilíbrio dá nulo ao intervalo
Equilíbrio dá nulo ao intervalo FOTO: Lusa

A equipa de Carlos Carvalhal esteve melhor nos cinco minutos iniciais, mas rapidamente o Benfica tomou conta do encontro. Aos 14', Saviola serve Cardozo, que ganha o duelo com Anderson Polga. O remate do paraguaio saiu mal, ao lado do poste esquerdo de Patrício. A partir dos 20', os leões voltaram a assumir o controlo das operações, criando duas excelentes oportunidades, de forma quase consecutiva: aos 23', após um canto curso, Adrien SIlva coloca a bola no segundo poste, onde se encontrava Anderson Polga que, na cara de Quim, atirou por cima; segundos depois, Liedson ultrapassa Sidnei já no interior da área, mas Quim defende bem o remate do luso-brasileiro.

 

Com trinta minutos jogados, o ritmo de jogo baixou e apenas nos minutos finais da primeira metade as chances de golo regressaram ao dérbi. Aos 41', novamente Polga a cabecear por cima da trave de Quim. Na resposta, aos 43', Di María passa por Abel - lateral saiu lesionado aos 45', entrando Pedro Silva -, mas ao cruzamento não chegaram Saviola nem Cardozo. No último lance antes do intervalo, num livre de Di María, David Luiz falha o cabeceamento por centímetros. Passou o perigo para o Sporting e Pedro Proença apitou para o descanso.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)