Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Equipa a 60 por cento

O FC Porto vai tentar amanhã no Bonfim manter a tradição ganhadora dos últimos anos e fechar da melhor forma um ciclo positivo em que venceu Hamburgo e FC Porto e empatou em Alvalade. O técnico defendeu ontem que o FC Porto está em clara subida de produção, mas ainda longe do seu melhor.
5 de Novembro de 2006 às 00:00
“Ainda só estamos a sessenta por cento do que podemos jogar no futuro. O jogo da equipa é bom ou está melhor do que já esteve. A equipa está muito mais agressiva, muito mais subida, joga um futebol ofensivo muito simples e os golos estão a acontecer. Acho que o FC Porto tem feito uma média de golos boa, mas pode e vai fazer mais golos”, analisou Jesualdo. Se a 60 por cento o FC Porto lidera a Liga, onde vai então chegar esta equipa? “Se calhar vão ter de arranjar um campeonato só para nós”, gracejou.
O técnico desvalorizou o facto de os portistas não perderem em Setúbal há 23 anos: “Sabemos que tradicionalmente em Setúbal o FC Porto obtém bons resultados, mas a tradição vale o que vale... Nós não vamos jogar nisso. Vamos claramente com intenção de ganhar este jogo, que é muito importante para o FC Porto terminar um ciclo de seis jogos difíceis”, frisou o técnico dos ‘dragões’, para quem só a vitória interessa: “A nossa posição perante este jogo, e todos os outros que abordámos nos últimos tempos, é com uma convicção muito forte de jogarmos para ganhar e este jogo não nos pode apresentar outro cenário senão este”.
A confiança dos ‘dragões’ está em alta e o facto do adversário passar por uma fase turbulenta ainda mais fortalece o à vontade com que o líder encara este embate: “Temos é de tirar partido daquilo que são as nossas boas condições. Os nossos níveis de confiança estão altos, os resultados são bons, o nosso nível e organização de jogo está melhor. As nossas prestações, sob o ponto de vista da eficácia, estão também melhores e temos de aproveitar isso, independentemente do facto do V. Setúbal ter tido uma semana menos positiva”.
SADINOS ESTÃO MOTIVADOS
António Conceição, treinador do V. Setúbal, admitiu ontem que os problemas de disciplina surgidos, em vésperas de defrontar o FC Porto, e que culminaram com o afastamento dos capitães Sandro e Nandinho, “não são nada benéficos para o grupo de trabalho, técnico, clube e cidade”.
Não obstante, o timoneiro dos sadinos, que agradeceu o “apoio da direcção” durante o processo, acredita que o Vitória estará em condições de discutir o resultado com os portistas.
“Apesar do que aconteceu, senti uma motivação por parte dos atletas. A nossa força tem de ser colectiva e temos de actuar de forma equilibrada para surpreender um adversário fortíssimo”, avisou, escusando-se a alimentar a polémica.
“Os problemas do Vitória são resolvidos internamente e não na praça pública. A instituição paga-nos para sermos profissionais dignos”, sublinhou, afiançando que tem “jogadores suficientes para enfrentar o FC Porto e conseguir um resultado positivo”.
APONTAMENTOS
FUCILE À ESQUERDA
Jesualdo revelou ontem desconhecer que Fucile estava emprestado ao FC Porto. “Nem sabia se estava emprestado ou se foi contratado”, disse, acrescentando que o lateral “poderá continuar a jogar à esquerda”.
ANDERSON ELOGIADO
Jesualdo Ferreira elogiou ontem as qualidades humanas de Anderson. “Sob o ponto de vista humano, não é, de facto, uma pessoa que provoque desamor, muito pelo contrário”, disse.
CONVOCADOS HOJE
A lista de convocados para Setúbal é conhecida hoje. A equipa treina de manhã e, após o almoço, viaja para o Sul do País.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)