Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Estatutos: Madaíl apela à “responsabilidade”

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madaíl, apelou este sábado novamente à "responsabilidade" e "bom senso" dos sócios ordinários para a necessidade de aprovar a adaptação estatutária ao Regime Jurídico das Federações Desportivas (RJFD).
19 de Março de 2011 às 12:55
Gilberto Madaíl apela ao "bom senso" dos sócios da FPF
Gilberto Madaíl apela ao 'bom senso' dos sócios da FPF FOTO: Fernando Ferreira

"Se a situação se mantiver, deixamos de poder organizar selecções e deixamos de representar Portugal. Pergunto o que acontece aos nossos jogadores, aos nossos árbitros, aos nossos clubes e ao nosso orgulho português?", questionou Madaíl.  

O presidente da FPF reiterou que "a FIFA, a UEFA, o Estado, o Ministério Público (MP) e os clubes aguardam o resultado desta AG", assinalando a "urgência do documento ser aprovado" no plenário que decorre na sede da FPF, em Lisboa. 

"Para podermos continuar a existir, tal qual como existimos, temo de cumprir a lei. Não fui eu que pedi a lei e admito que haja pormenores caricatos", referiu o presidente federativo, recordando que, em caso de novo chumbo, a FPF teria "o MP à porta".  

Gilberto Madaíl afirmou que a suspensão parcial do Estatuto de Utilidade Pública Desportiva representa uma "perda não recuperável de cerca de quatro milhões de euros" e que a inadequação significaria que "dezenas de milhões de euros que se vão perder", especialmente em patrocínios.  

Caso esta alteração estatutária reprove novamente, o presidente da FPF garantiu que desiste "à boca das urnas" da eleição para o Comité Executivo da UEFA, para o período 2011-2015.  "Acho que estamos hoje numa assembleia muito importante, espero bem que, no final, a federação regresse à normalidade. Desde o início procurei obter consenso", sublinhou.  

Antes da intervenção do presidente federativo, os sócios discutiram o método de votação do documento na generalidade, se "em bloco", defendida pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, ou "artigo por artigo", solicitada pela Associação de Futebol de Braga.  

Perante este impasse, o presidente do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol, Joaquim Evangelista, pediu a substituição do presidente da Mesa da AG, Avelino Ribeiro, pelo vice-presidente Carlos Moura Alves, recordando que "a última reunião correu tão bem". Solicitação que não foi acolhida e não mereceu resposta de Avelino Ribeiro.  

Esta AG extraordinária tem como principal ponto da ordem de trabalhos a votação dos estatutos do organismo, que já foi chumbada em três reuniões magnas, e do regulamento eleitoral.  

Para que os novos estatutos sejam aprovados nesta AG, é preciso que haja 75 por cento dos votos, mais um, num universo de 500 votos, sendo que se houver 126 contra (25 por cento mais um) a proposta não passará.

gilberto madaíl federação estatutos associações sócios lisboa
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)