Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Este dragão intriga

O FC Porto continua a evidenciar sinais de uma intrigante instabilidade exibicional, na linha do que já se vislumbrara há uma semana em Vila do Conde.
27 de Setembro de 2008 às 00:30
Fernando, Lino e Sapunaru felicitam Raul Meireles, autor do primeiro golo do FC Porto diante do Paços
Fernando, Lino e Sapunaru felicitam Raul Meireles, autor do primeiro golo do FC Porto diante do Paços FOTO: João Abreu Miranda/Lusa

Sem razões aparentes para se perturbar, a equipa de Jesualdo Ferreira entrou bem, conseguiu um bonito golo (ainda assim no aproveitamento de sucessivos erros da defesa do Paços de Ferreira), mas aos poucos foi-se desligando do jogo, deixando-o ficar arrastado e aberto durante muito tempo. A tal ponto que deixou o adversário crescer e acreditar que com mais ousadia e até com um golpe de asa poderia marcar a reentrar na discussão do resultado.

A ausência de Lucho González (em gestão de esforço, a pensar no encontro de terça-feira contra o Arsenal, para a Liga dos Campeões) não explica, por si só, a falta de ideias da equipa. Só a lucidez de Raul Meireles, presente em todos os melhores momentos do FC Porto, evitou que o coro de assobios que se fez ouvir de forma tímida aos 65 minutos aumentasse de volume. Meireles, autor do primeiro golo, serviu de bandeja Hulk para o segundo, reforçando nesse momento uma ideia que já ganhara corpo antes do lance: era o melhor homem em campo. Mais do que isso, punha um ponto final onde antes crescia um ponto de interrogação, tão frequentes estavam a ser as investidas ofensivas do Paços de Ferreira.

Após este triunfo, o FC Porto fica com uma certeza: hoje vai ganhar pontos a pelo menos um dos seus rivais na corrida ao título. Mas na próxima semana vai ao Estádio de Alvalade, num jogo que ajudará a descodificar algumas questões que se mantêm em aberto.

"NÃO MUITO BRILHANTE"

"Fizemos um jogo não muito brilhante. Mas a equipa lutou, foi humilde e ganhou, que era o mais importante. Fomos realistas." Foi assim que Jesualdo Ferreira analisou a vitória (2-0) do FC Porto diante do Paços de Ferreira.

O médio Raul Meireles, autor de um dos golos portistas, teve um discurso semelhante ao de Jesualdo: "Tínhamos de ganhar e ganhámos, que era o mais importante."

Já o técnico do P. Ferreira, Paulo Sérgio, lamentou a "apatia" da sua equipa na primeira parte e as "desatenções" que levaram aos dois golos dos dragões.

ANÁLISE

POSITIVO: RAUL MEIRELES

Bom jogo. Um bonito golo, passes bem medidos e futebol de alta rotação. Sem Lucho, assumiu o comando da nau azul.

NEGATIVO: FARÍAS APAGADO

O avançado Farías passou praticamente ao lado do jogo. Não tarda a perder o lugar para Hulk.

ARBITRAGEM: NOITE SEM COMPLICAÇÕES

Actuação tranquila e segura para o bancário de Lisboa. Acompanhou os lances de perto. Isso é bom.

FICHA DE JOGO

LIGA - 4.ª jornada - 26/09/08

Estádio do Dragão - Assistência: 31 816

FC PORTO 2 - 0 P. FERREIRA

FC PORTO: Helton 5, Sapunaru 5, Candeias (57’) 4, Rolando 6, Bruno Alves 5, Lino 6, Tomás Costa 5, Fernando 5, Raul Meireles 7, Farías 3, Guarín (57’) 4, Lisandro Lopez 6, Hulk (70’) 6, Rodríguez 6. TREINADOR: JESUALDO FERREIRA

P. FERREIRA: Cássio 5, Tiago Valente 5, Ricardo 5, Ozeia 5, Filipe Gonçalves 6, Pedrinha 6, William (74’) 2, Filipe Anunciação 5, Rui Miguel (45’) 5, Paulo Sousa 5, Chico Silva (74’) 2, Josa 4, Leandro Tatu 5, Cristiano 6. TREINADOR: PAULO SÉRGIO

Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa) 8

Disciplina: amarelos: Tiago Valente (33’) Raul Meireles (49’), Josa (81’), Ozeia (85’)

Classificação do jogo 6

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)