Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

“Este jogo não conta para nada” (C/VÍDEO)

"É um jogo de preparação, que não conta para nada, mas é claro que os jogadores têm de estar todos unidos". Foi desta forma que Cristiano Ronaldo analisou a partida de Portugal frente à China, amanhã (20h45, TVI), no Estádio Cidade de Coimbra, desvalorizando a importância do encontro que marca o seu regresso à Selecção.
2 de Março de 2010 às 00:30
Cristiano Ronaldo, ontem, à chegada ao hotel onde está concentrada a selecção nacional, em Coimbra
Cristiano Ronaldo, ontem, à chegada ao hotel onde está concentrada a selecção nacional, em Coimbra FOTO: Francisco Paraiso/FPF

'É uma partida em que os jogadores podem estar relaxados e jogar ainda melhor. É simplesmente um jogo, mas é para ganhar, claro. E ganhar confiança para estarmos bem na África do Sul', disse o jogador do Real Madrid, negando que tenha alguma homenagem preparada para a Madeira no embate com a China.

Ronaldo e restantes convocados vêem no adversário de amanhã um teste para o jogo com a Coreia do Norte (dia 21 de Junho), no Mundial da África do Sul. 'Será uma partida para conhecermos melhor as equipas asiáticas, por isso é um desafio importante', analisou Hugo Almeida, lembrando o particular com os Camarões, no dia 1 de Junho, também para preparar a Costa do Marfim.

Entre os 18 convocados reina a confiança que a chamada se irá repetir no Mundial da África do Sul. 'Penso que posso trazer espírito de entreajuda e vou dar tudo para conseguir um lugar no Mundial', disse Varela, grande novidade entre os eleitos de Carlos Queiroz, à chegada a Coimbra, num discurso repetido por Hilário, Tiago e Pedro Mendes.

Já Liedson analisou o calendário do Mundial, que ditou uma partida entre Portugal e Brasil que irá causar uma cisão entre os próximos do luso-brasileiro. 'A família está um pouco dividida. É claro que não vão torcer por Portugal, mas sim por mim', reconheceu o avançado que, tal como João Moutinho, admitiu que as recentes vitórias do Sporting (3-0, frente a Everton e FC Porto) dão maior 'moral e confiança' para jogar frente à China.

MIL ADEPTOS INDIGNADOS

'Trazer para aqui meia dúzia de jogadores é gozar com a malta que aqui veio. É uma autêntica vergonha'. A frase de Carlos, reformado que ontem se deslocou ao Estádio Sérgio Conceição, em Taveiro, espelha a desilusão dos cerca de mil adeptos que viram apenas oito internacionais a treinar no relvado.

'O que ficaram os outros a fazer no hotel? A comer? A beber?', questionou outro apoiante da Selecção, no apronto em que os guarda-redes Hilário e Eduardo testaram os reflexos com remates da entrada da área com bola corrida por Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Nani, Duda, Hugo Almeida e Raul Meireles. Os restantes convocados ficaram no hotel Quinta das Lágrimas a fazer exercícios de ginásio, para desânimo dos adeptos.

A China também treinou ontem à noite, no palco do jogo de amanhã, mas os exercícios foram feitos à porta fechada.

APONTAMENTOS

ESPERANÇA

'Esperava ter sido chamado à Selecção A, mas estou nos sub-23 e tenho a cabeça aqui', confessou Fábio Coentrão, num discurso similar ao do guarda-redes Rui Patrício, também esperança em jogar no Mundial de 2010.

DISPENSADOS

Ruben Micael, com uma luxação na clavícula direita, e Yannick Djaló, com problemas nos adutores, foram dispensados da Selecção sub-23 e não jogam frente ao País de Gales, amanhã (14h00, TVI), para o International Trophy Challenge, em Fátima.

MOTIVADO

João Moutinho desvalorizou o facto de ter sido o último a ser chamado por Queiroz. 'Isso não interessa, estou aqui para ajudar', disse o médio, que integrará o treino de hoje à tarde, no Estádio Municipal de Coimbra.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)