Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

ESTORIL OPEN: O ÚLTIMO SUSPIRO LUSO

Os tenistas lusos despediram-se ontem definitivamente do Estoril Open, com a dupla Bernardo Mota e Emanuel Couto a sucumbir perante o par argentino Gaston Etlis e Martin Rodriguez, por um duplo 6-4.
12 de Abril de 2003 às 01:18
Mota e Couto amealharam em conjunto 13 920 euros
Mota e Couto amealharam em conjunto 13 920 euros FOTO: Marta Vitorino
O encontro que havia sido adiado na véspera, devido à chuva, foi disputado no escondido 'court' número três, mas apesar do público entusiasta a dupla portuguesa acabou eliminada. Derrotada, mas de bolsos cheios. É que Mota, com a passagem à segunda ronda de singulares, amealhou cerca de 8720 euros e em pares dividiu os 5200 euros com Couto, ou seja, a sua participação no Jamor rendeu-lhe 11320 euros (2264 contos). Couto, por seu turno, contentou-se apenas com os 2600 euros (520 contos).
Uma apatia invulgar e a falta de agressividade, evidenciada no último encontro, revelaram-se fatais para as pretensões da dupla lusitana, como explicou Emanuel Couto: "Começámos mal, evidenciámos apatia e pouco à-vontade no 'court'”. Mota afinou pelo mesmo diapasão, reconhecendo que nunca sentiram a agressividade necessária para disputar um jogo de pares: "Se juntarmos as duas vitórias, o saldo é bastante bom. Julgo que aproveitei bem esta oportunidade e vou aguardar pelo próximo 'ranking' (somou mais 15 pontos ATP) para decidir o que fazer no futuro".
KAFEL E O “DESMIOLADO”
No duelo fraticida entre os russos Nicolay Davydenko e a estrela Yevgeny Kafelnikov, o triunfo acabou por sorrir ao tenista mais jovem.
Davydenko, sem medo e sem complexos, conseguiu um histórico triunfo por 6-2 e 6-4 , embora Kafelnikov tenha classificado o compatriota de “desmiolado”. Kafelnikov instado pelo Correio da Manhã a comentar se estaríamos na presença do seu sucessor, mostrou-se pouco convicto. "Não tem inteligência nem miolo para isso. É um bom jogador e pode chegar ao top-15, mas para atingir o top-ten terá de ser mais inteligente", sublinhou.
SERNA TEM CAMINHO LIVRE
O caminho está livre para que a espanhola Magui Serna revalide o título singular feminino no Estoril Open. A tenista, natural de Las Palmas, superou, até agora,
todas as suas adversárias em apenas duas partidas, e sempre com relativa facilidade.
Depois de ter conseguido conquistar o seu primeiro título WTA no Jamor, em 2002, a espanhola continua a dar-se bem no pó de tijolo português.
Ontem, voltou a ter uma jornada fácil, apurando-se ao bater a francesa Cohen Aloro, por duplo 6-3. Nas meias-finais de hoje, a detentora do ceptro vai ter pela frente Razzano, outra gaulesa.
Razzano, por seu lado, teve dificuldades em superar a argentina Dulko, mas acabou vitoriosa por apertados 7-6 (4) e 6-4.
A outra meia-final da competição vai estar entregue a duas 'desconhecidas'. A alemã Julia Schruff venceu ontem a eslovaca Cervanova (7-5 e 6-3) e vai agora bater-se com a helvética Emmanuelle Gagliardi, que superou a croata Talaja, por 6-4 e 7-6 (4).
PROGRAMA
Court central
A partir das 12h00:
Virginie Razzano (FRA) - Maqui Serna (ESP)
Depois das 14h00:
Nikolay Davydenko (RUS) - Max Mirnyi (BLR)
depois das 15h30:
Tommy Robredo (ESP) - Agustin CAlleri (ARG)
Final de Pares masculino
Mahesh Bhupathi (IND)/Max Mirnyi (BLR) - Lucas Arnold (ARG)/Mariano Hood (ARG)
Court ‘centralito’
A partir das 12h00:
Julia Schruff (GER) - Emmanuelle Gagliardi (SUI)
Depois das 14h00:
Final de Pares Feminino
P. Mandula (HUN)//P. Wartusch (AUT) - M. Ani (EST)//E. Gagliardi (SUI)
NÚMERO
11 320
O português Bernardo Mota, ao alcançar a 2.ª ronda no Estoril Open, tanto em singulares como na variante de pares, arrecadou aproximadamente 11 320 euros (cerca de 2264 contos) de 'prize money'.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)