Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Exibição tão esquisita como cabelo de Hulk

Alcançar a vitória mais expressiva da época com uma exibição de qualidade muito baixa é uma situação tão esquisita como o novo penteado de Hulk, que apareceu de cabeleira amarela na noite chuvosa em que o treinador Vítor Pereira, sob pressão, remodelou significativamente a equipa portista.

24 de Outubro de 2011 às 01:00
Hulk, que ontem se apresentou com um novo visual (cabelo louro), tenta roubar a bola a Juliano
Hulk, que ontem se apresentou com um novo visual (cabelo louro), tenta roubar a bola a Juliano FOTO: Estela Silva/Lusa

O 5-0 final retrata mais a falta de aplicação dos madeirenses do que uma melhoria de funcionamento da máquina portista. Com Hulk complicativo, o FC Porto nunca ligou os lances de ataque e só chegou à área contrária em iniciativas individuais.

Numa partida que seria propícia às suas características, o avançado Walter realizou apenas duas finalizações, porque a bola não lhe chegava, apesar da marcação pouco rigorosa da defensiva também inédita que o treinador do Nacional decidiu apresentar no Dragão.

Perante uma oposição fraquíssima e sem ponta de agressividade, a goleada expressa com dois golos nos últimos momentos do jogo é enganadora e não resulta de uma melhoria qualitativa da equipa portista, cujo meio-campo, sem Moutinho nem Guarín, deixou muito a desejar em termos defensivos, em particular.

O belga Defour abriu o activo (24’) com um remate desviado num defensor madeirense, numa altura em que eram evidentes as dificuldades de penetração e até ao intervalo o FC Porto não voltou a produzir nenhuma outra situação de concretização, chegando ao segundo golo de forma irregular por Walter, num canto.

Depois de ter realizado alguns raides à área portista no primeiro tempo, o Nacional desapareceu do jogo após o intervalo, sofreu um terceiro golo num livre directo com recarga de Sapunaru e acabou a ser castigado com a goleada nas duas últimas jogadas, finalizadas por Kléber e Hulk, o último também em posição de fora-de-jogo.

WALTER ESTEVE EM TODAS AS FRENTES

Helton – Um ou outro desplante a jogar com os pés, numa exibição tranquila.

Sapunaru – Marcou um golo em recarga facílima e deu alguma amplitude ao ataque portista.

Rolando – Desviou de cabeça para o 2-0, mas não disfarçou alguma crise de confiança com erros de marcação.

Mangala – Alguns preciosismos desnecessários e sentiu problemas com a irreverência do avançado Mateus.

Álvaro Pereira – Generoso e ofensivo como quase sempre, mas teve cruzamentos e combinações falhadas. Razoável.

Fernando – Cobriu bem a sua área, mas pecou nas entregas. Tacticamente certo, mas sem rasgos.

Belluschi – Bom jogo. Isolou Hulk para oportunidade falhada e rematou de livre para dar origem ao 3-0.

Defour – Abriu o marcador num remate feliz e tentou jogar fácil. Precisa de mais rotinas com os colegas.

Hulk – Marcou um golaço, num chapéu espectacular que fechou o resultado e marcou o canto do 2-0. De resto, individualista e trapalhão, mas lutador.

Varela – Começou com iniciativa, que se foi perdendo com o decorrer do tempo.

Guarín – Iniciou com boa abertura a jogada do 4-0.

Moutinho – Boa entrada. Assistiu Kléber e Hulk para dois golos.

Kléber – Entrou e picou o ponto com o 4-0, a encostar. 

Walter – Assistiu de calcanhar Defour para o 1-0, marcou ao segundo poste, num desvio para o 2-0 e sofreu a falta do 3-0. Muito mexido, justificou a titularidade e saiu sob fortes aplausos.

MILAN PRETENDE MÉDIO FERNANDO JÁ EM FEVEREIRO

Fernando é pretendido pelo AC Milan, que quer o médio brasileiro, de 24 anos, já na reabertura do mercado, em Janeiro.

Segundo noticiou ontem o jornal italiano ‘Corriere dello Sport’, Ariedo Braida, dirigente ‘rossonero’, deverá reunir-se com o empresário do jogador na próxima semana. O maior entrave às intenções do colosso transaplino é o valor pretendido pelos dragões, que, diz o diário italiano, rondará os 20 milhões de euros, menos dez do que o valor da cláusula de rescisão . Fernando tem contrato com o FC Porto até Junho de 2014.

VÍTOR PEREIRA: "CONTO COM TODOS PARA JOGAR"

Vítor Pereira, técnico do FC Porto, justificou a mudança de cinco jogadores do onze habitual com a gestão de esforço do plantel [João Moutinho, Otamendi, James Rodríguez, Fredy Guarín e Kléber não foram titulares]: "Foi uma mensagem para os jogadores que todos são opção para jogar. Conto com todos ."

O treinador dos azuis não se arrepende, por isso, de ter feito uma revolução na equipa diante dos insulares. "Mesmo com muitas alterações vencemos e marcámos cinco golos, por isso estou satisfeito", salientou.

Apesar dos números dilatados do marcador, o treinador portista reconheceu as dificuldades impostas pelo Nacional. "Fizemos um jogo consistente. O adversário, enquanto esteve bem organizado e preocupado em fechar espaços, criou-nos dificuldades. Mas nós controlámos sempre bem e os golos surgiram dos erros e do desgaste", disse o treinador do FC Porto, que se queixou ainda do estado do relvado do Dragão: "Terreno difícil com muita chuva durante o tempo todo".

FICHA DO JOGO

LIGA – 8.ª Jornada – 23/10/2011

Estádio do Dragão – Assistência: 23 135

Golos: 1-0 Defour (24’), 2-0 Walter (40’), 3-0 Sapunaru (67’), 4-0 Kléber (90+1’), 5-0 Hulk (90+3’)

Figura do jogo: Walter, avançado,22 anos

FC PORTO

Helton, Sapunaru, Rolando, Mangala, Álvaro Pereira, Fernando, Defour (Guarín 73’), Belluschi (J. Moutinho 73’), Hulk, Varela, Walter (Kléber 78’).

Suplentes não utilizados: Bracali, Otamendi, Jamese Djama 

Treinador: Vítor Pereira

NACIONAL

Marcelo, Claudemir, Felipe, Luís Neto, Danielson, Todorovic, Luís Alberto (Elizeu 46’), Juliano, Mateus (Candeias 73’), Diego Barcellos (Edgar Costa 86’),  Mário Rondon.

Suplentes não utilizados: Vladan,Nuno Pinto, Skolnik e Oliver 

Árbitro: Cosme Machado (Braga)

Disciplina: amarelos: Nada a registar 

FC PORTO NACIONAL JOGO FUTEBOL HULK WALTER
Ver comentários