Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

FC Porto pede investigação

Os responsáveis pelo futebol do FC Porto querem que a Liga de Clubes investigue exaustivamente os factos que rodeiam o castigo do delegado João Pedro Dias, suspenso durante 18 meses pela Comissão Disciplinar por ter omitido no seu relatório ocorrências após o jogo Benfica-Nacional (0-0) da época passada, no túnel de acesso aos balneários do Estádio da Luz.
18 de Setembro de 2009 às 00:30
Jogo Benfica-Nacional, da época passada, prolongou-se após os 90 minutos e ainda não terminou...
Jogo Benfica-Nacional, da época passada, prolongou-se após os 90 minutos e ainda não terminou... FOTO: Jornal da Madeira

"Porque terá o delegado colocado em causa o seu bom-nome e reputação de forma tão displicente? O que o determinou a mentir? A promessa de alguma recompensa ou favor? Ou terá sido exercida alguma ‘violência moral’ sobre o delegado, isto é, terá o delegado sido alvo de alguma coacção que o levasse a mentir e a cometer um ilícito muito grave? Qual a entidade que beneficiaria e aproveitaria da falsificação do relatório?" Estas são questões que o FC Porto quer ver apuradas e por isso solicitou a investigação à Liga de Clubes.

Os dragões lançam também a possibilidade de terem existido "motivações externas" à vontade de João Dias. Sugerem, pois, aos responsáveis da Liga que apurem os factos "que possam ter relação directa ou indirecta com a prática deste ilícito disciplinar muito grave".

O jogo em causa, Benfica-Nacional da época passada, disputado no dia 22 de Dezembro de 2008, terminou empatado 0-0 e foi arbitrado por Pedro Henriques. Na parte final do jogo, o juiz lisboeta anulou um golo ao Benfica o que incendiou ânimos na saída dos intervenientes do relvado. Nuno Gomes foi expulso no túnel (ficou suspenso por dois jogos) e o assessor da SAD encarnada Paulo Gonçalves também viria a ser punido, ambos por alegados insultos ao árbitro. Tudo isto consta do relatório de Pedro Henriques, mas houve muitas omissões no relatório do delegado da Liga, João Dias, que fez saber que nada de anormal aconteceu.

Há pouco mais de uma semana, a Comissão Disciplinar da Liga, com base em vários testemunhos e imagens do sistema de vídeo existente no túnel, decidiu suspender João Dias por 18 meses por ter cometido um "ilícito muito grave".

BRUNO ALVES DIZ QUE EM BRAGA "É PARA GANHAR"

Bruno Alves, capitão do FC Porto, antevê dificuldades na deslocação a Braga (amanhã, 21h15, Sport TV1) mas garante que a sua equipa vai estar na máxima força "para chegar lá e fazer um bom resultado, que é ganhar".

O número 2 dos dragões assevera que a derrota por 1-0 em Londres, com o Chelsea, da primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, na terça-feira, "já faz parte do passado. Não há marcas". Mas sublinha: "Em Braga temos de tirar conclusões das coisas boas e más que fizemos em Stamford Bridge."

APONTAMENTOS

DELEGADO RECORRE

O delegado suspenso por 18 meses, João Dias, recorreu para o Conselho de Justiça do castigo aplicado pela CD.

"QUESTÃO DE PRINCÍPIO"

João Dias disse à Agência Lusa que recorre "por uma questão de princípio". Mais não justificou.

ADVOGADO E DOCENTE

Antigo vice-presidente do Beira-Mar, João Dias é advogado e professor de Ciência Política e Direito Comunitário.

Ver comentários