Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Federação diz que o doping é coisa antiga

O presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), Artur Lopes, reconhece que “o ciclismo tem quase uma cultura do ‘doping’, é uma coisa antiga, enraizada, mas foi também a primeira modalidade a criar regras e a elaborar legislação antidoping”.
26 de Novembro de 2006 às 00:00
No final da Conferência Internacional sobre a luta contra a dopagem, realizada na cidade da Praia, em que participou como representante do Comité Olímpico de Portugal, sublinha que o grande passo na luta contra o ‘doping’ só será dado quando “noventa por cento dos atletas baterem o pé e disserem que querem liderar a luta e bani-lo.”
A prevenção e as suspensões temporárias são, para Artur Lopes, métodos que podem continuar a revelar-se eficazes, inclusive nos casos de fuga aos controlos fora de competição.
“Esses castigos temporários obrigam os ciclistas a pensarem melhor antes de fazerem alguma batotice, pois sabem que podem ser suspensos se fugirem a um controlo”, frisa Artur Lopes que considera prioritário continuar a promover campanhas de prevenção junto dos mais jovens em estreita colaboração com o Conselho Nacional de Antidopagem (CNAD).
“Vamos continuar a lutar sabendo que não se vê o fim a curto prazo”, garantiu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)