Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

FIFA quer menos estrangeiros

Joseph Blatter quer introduzir limitações ao número de estrangeiros permitido nos clubes de futebol.
15 de Dezembro de 2007 às 00:00
Actualmente, face às leis da União Europeia, não há restrições à nacionalidade dos jogadores, desde que estes sejam oriundos do espaço comunitário ou estejam em países com acordos unilaterais. É o caso de Portugal e Brasil, onde é consagrada a igualdade de direitos.
O presidente da FIFA está descontente com a realidade da maioria dos campeonatos, receando que a margem de manobra que é concedida aos clubes resulte numa descaracterização do futebol. “Deve abrir-se a porta a jogadores estrangeiros mas não ao ponto de se perder a identidade. É necessário manter, se não a identidade local, pelo menos a identidade nacional dos clubes”, disse, ontem, o dirigente suíço.
Contudo, ainda não foi definida legislação, mas pode ser tomada uma decisão no congresso da FIFA, em Maio de 2008. O dossiê foi entregue por Joseph Blatter ao Comité de Estratégia do organismo, que “vai propor uma solução”. A ideia mereceu, também, o apoio de Michel Platini, presidente da UEFA.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)