Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Foi marcar e descansar. Benfica vence Belenenses SAD por 2-0

Benfica entrou forte e desfez rapidamente o empate. Depois adormeceu e permitiu uma reação do Belenenses.
Filipe António Ferreira 27 de Outubro de 2020 às 01:30
Darwin tenta ganhar vantagem no duelo com Danny, em  lance do jogo desta segunda-feira à noite na Luz
Darwin tenta ganhar vantagem no duelo com Danny, em lance do jogo desta segunda-feira à noite na Luz FOTO: Pedro Ferreira
Missão cumprida. O Benfica venceu o Belenenses na quinta jornada do campeonato, fez o pleno de vitórias e manteve a vantagem de cinco pontos na liderança.

Jesus fez três alterações em relação à partida da Polónia, pensando na sobrecarga de jogos: quinta-feira há duelo com o Standard Liège, também para a Liga Europa. Deu resultado, porque o Benfica entrou a todo gás, com dez minutos de grande intensidade.

Aos seis minutos uma grande jogada coletiva valeu o golo do Benfica. Grimaldo cruzou para o cabeceamento de Seferovic, que entrou no onze para o lugar de Waldschmidt.

Logo a seguir, Everton teve nos pés o 2-0, mas André Moreira impediu o festejo do brasileiro. Depois foi, de novo, Seferovic a estar perto de bisar, mas o cabeceamento saiu ao lado. Acabou aí a intensidade do Benfica até ao descanso.

A equipa de Jorge Jesus nunca deixou de dominar, mas com pouca velocidade, o que facilitava a ação do bloco baixo do Belenenses. A equipa de Petit mostrou-se aqui ou ali atrevida, mas o remate ao lado de Miguel Cardoso foi demonstrativo da pouca acutilância azul, mesmo com o adormecimento encarnado. Jesus pedia mais, mas a bola saía sempre lenta do meio-campo das águias. Alguns fogachos de Darwin ainda tentaram mudar o rumo dos acontecimentos, mas o jogo foi para o intervalo com uma vantagem justa,embora mínima para o líder do campeonato.

O regresso, após o intervalo, voltou a ter uma toada morna. Ainda assim, Everton ‘Cebolinha’ teve uma boa chance, mas o cabeceamento saiu ao lado. Depois Miguel Cardoso e Varela assustaram Odysseas.

Jesus mexeu e as entradas de Pizzi e Waldschmidt deram mais tranquilidade e mais projeção ao ataque. O alemão teve nos pés uma grande chance aos 63’, mas atirou ao lado. Depois, Darwin entrou em ação. Marcou, mas o golo foi anulado. A seguir, foi André Moreira a travar o uruguaio. Mas, à entrada dos últimos quinze minutos, o primeiro na Liga, matou o jogo. Waldschimdt fez uma assistência fantástica para Darwin, que, perante André Moreira, tirou o guarda-redes do caminho e disparou para o 2-0 final.

Um triunfo justo, mas sem nota artística de um Benfica que consegue a quinta vitória seguida no arranque do campeonato igualando o registo de 1982/83, quando as águias eram orientadas pelo sueco Eriksson.

"Bernardo Silva foi ingrato"
"Bernardo Silva foi um ingrato. E o pior defeito é a ingratidão. A verdade é que foi ele quem pediu-me para sair do Benfica. Disse que o Mónaco pagava-lhe 20 vezes mais e queria ajudar a família", foi desta forma que Jesus respondeu às acusações do jogador do Man. City, que escreveu que o Benfica precisa de mudança.

Sobre o jogo com o Belenenses SAD, Jesus reafirmou que a "equipa do Benfica pode fazer golo a qualquer momento". "Estamos muito fortes a sair para o ataque. Podíamos ter feito mais golos", acrescentou o técnico, destacando o facto de as águias terem cinco vitórias em cinco jogos da Liga, algo que não acontecia desde a época de 1982/83.

O treinador do Benfica elogiou ainda o desempenho dos seus jogadores e realçou o facto de não terem "sofrido qualquer golo". Destacou também o facto de alguns " revelarem sinais de fadiga"

Ver comentários