Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

FPF anula decisão da Liga e relança caso Mateus

Voltou tudo à estaca zero no badalado caso Mateus. O Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anulou ontem o acórdão da Comissão Disciplinar da Liga, que confirmava a permanência do Gil Vicente no escalão principal do futebol nacional e a descida do Belenenses à Liga de Honra.
7 de Julho de 2006 às 00:00
A anulação do acórdão teve por base um erro processual no recuo do pedido de dispensa do membro da Comissão Disciplinar, Domingos Lopes. Face a esta decisão por parte do organismo federativo, a Comissão Disciplinar da Liga deverá reunir-se novamente e deliberar sobre este assunto, não podendo desta feita, contar com a participação do vogal Domingos Lopes. É que este elemento é filho do ex-presidente gilista Constantino Lopes, que entretanto já abandonou o cargo.
O acórdão, elaborado após uma decisão com um voto de qualidade do presidente Gomes da Silva, após um empate 2-2, provocou uma ruptura no seio da Comissão Disciplinar da Liga. Aliás, os dois vogais vencidos, Pedro Mourão e Frederico Cebola, acabaram mesmo por apresentar a sua demissão. Neste momento, a Comissão está sem quórum, mas Adriano Afonso, presidente da mesa da AG da Liga, promete que a situação será resolvida brevemente.
O internacional angolano Mateus, jogador que esteve presente no Mundial da Alemanha, assinou um contrato profissional com o Gil Vicente em Janeiro. Só que o jogador já havia sido utilizado na primeira metade da época pelo Lixa, actuando com o estatuto de amador.
Face aos regulamentos, um atleta que tenha iniciado a época como amador, não pode ser inscrito na mesma temporada com estatuto de profissional. No entanto, o Tribunal Adminitrativo e Fiscal do Porto obrigou a Liga a aceitar a inscrição do futebolista, mas depois acabou por recuar na decisão.
É neste ponto que se baseia a contestação do Belenenses. O clube do Restelo argumenta que os minhotos terão alegadamente recorrido aos tribunais civis, infringindo assim os regulamentos da FIFA. No entanto, o Gil Vicente alega que foi o próprio jogador, e não o clube, quem recorreu para os tribunais, declarando-se assim isento de culpa no polémico processo.
GIL VICENTE NÃO CONCORDA
O Gil Vicente reagiu em comunicado à decisão do Conselho de Justiça relativamente ao ‘Caso Mateus’. No documento, o clube gilista garante que “não concorda com a decisão tomada”, mas reafirma a sua intenção de “acatar a decisão do CJ da FPF, aguardando com serenidade e confiança os ulteriores termos do processo”.
BELENENSES SATISFEITO
Cabral Ferreira, presidente do Belenenses recebeu com satisfação esta notícia, mas não poupou críticas aos “organismos portugueses”. “Deixou-se arrastar o problema durante dois meses e isso é grave. Este assunto vai acabar na FIFA. Os organismos portugueses estão a mostrar que são incompetentes para decidir em tempo útil”, disse o dirigente.
Ver comentários