Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Gana ficou às portas da História

Ainda não é desta que África tem um semifinalista num Mundial. Frente ao Uruguai, o sonho do Gana esbarrou na trave, num jogo dirigido de forma complicativa por Olegário Benquerença, que deixou para o fim as emoções mais fortes.
3 de Julho de 2010 às 00:30
Luís Suárez evitou o golo do Gana em cima dos 120’. Asamoah Gyan falhou o penálti
Luís Suárez evitou o golo do Gana em cima dos 120’. Asamoah Gyan falhou o penálti FOTO: Brian Snider/Reuters

A resposta ganesa à supremacia do Uruguai foi premiada sobre o intervalo: um tiro optimista de Muntari deixou os africanos a 45’ da História. O Uruguai confinava-se ao talento de Forlán, um dos melhores, e o avançado foi pontual, marcando um dos raros golos de livre directo. Desperdiçando duas ocasiões claras, o Uruguai não evitou um prolongamento que, entre duas equipas de rastos, reservou as emoções para o último lance.

Após um livre, Suárez evitou o golo de Adiyiah com as mãos e foi bem expulso por Benquerença. Mas Gyan, o especialista, tremeu no duelo com Muslera e acertou na trave, antecipando o que iria suceder no desempate. ‘Loco’ Abreu, com um penálti à Panenka, pôs no jogo a derradeira nota de loucura.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)