Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Génio Messi em jogo de xadrez (COM FOTOGALERIA)

José Mourinho e Pep Guardiola bem tentaram aborrecer ontem dezenas de milhões de adeptos de futebol com um lento e chato jogo de xadrez sobre a relva de Chamartin, mas a história sublimará o génio de Lionel Messi e um dos golos mais belos da história da Champions.

28 de Abril de 2011 às 00:30
Num momento decisivo do jogo, Wolfgang Stark expulsou Pepe devido a uma entrada dura sobre Daniel Alves
Avançado português enfrentou uma defesa do Barcelona com muitos remendos, com o médio Mascherano a desempenhar funções mais defensivas
Catalão Piqué voltou a demonstrar muito nervosismo no relvado dos rivais de Madrid, sendo acalmado por Sergio Ramos
Cristiano Ronaldo rematou muitas vezes mas encontrou sempre um obstáculo no caminho da baliza
Triunfo em casa do rival foi muito festejado pelos catalães, que ficaram com um pé na final da Champions
Do outro lado do campo foi o ex-benfiquista Di María que fez tremer Dani Alves
Avançado argentino inaugurou o marcador no Santiago Bernabéu
Furioso com a expulsão do seu jogador, Mourinho protestou até receber ordem para ver o resto do jogo na bancada
Depois de uma jogada individual em que passou por metade da equipa do Real Madrid, Messi fez o segundo golo
José Mourinho e Pep Guardiola fizeram um duelo táctico que não resultou em golos enquanto as duas equipas jogaram com dez
Cristiano Ronaldo e Lionel Messi eram os principais candidatos a homem do jogo. No final o português ficou a milhas do argentino
Depois do apito final Xabi Alonso demonstrou o descontentamento da equipa da casa com o árbitro
Numa primeira parte muito disputada os jogadores de ambas as equipas lutaram pela posse de bola
Arrancadas de David Villa deram muitas dores de cabeça ao defesa brasileiro Marcelo
Luso-brasileiro Pepe viu-se e desejou-se para travar jogadas de Messi
Messi festeja golo com o recém-entrado Afellay, que fez assistência para golo
Num momento decisivo do jogo, Wolfgang Stark expulsou Pepe devido a uma entrada dura sobre Daniel Alves
Avançado português enfrentou uma defesa do Barcelona com muitos remendos, com o médio Mascherano a desempenhar funções mais defensivas
Catalão Piqué voltou a demonstrar muito nervosismo no relvado dos rivais de Madrid, sendo acalmado por Sergio Ramos
Cristiano Ronaldo rematou muitas vezes mas encontrou sempre um obstáculo no caminho da baliza
Triunfo em casa do rival foi muito festejado pelos catalães, que ficaram com um pé na final da Champions
Do outro lado do campo foi o ex-benfiquista Di María que fez tremer Dani Alves
Avançado argentino inaugurou o marcador no Santiago Bernabéu
Furioso com a expulsão do seu jogador, Mourinho protestou até receber ordem para ver o resto do jogo na bancada
Depois de uma jogada individual em que passou por metade da equipa do Real Madrid, Messi fez o segundo golo
José Mourinho e Pep Guardiola fizeram um duelo táctico que não resultou em golos enquanto as duas equipas jogaram com dez
Cristiano Ronaldo e Lionel Messi eram os principais candidatos a homem do jogo. No final o português ficou a milhas do argentino
Depois do apito final Xabi Alonso demonstrou o descontentamento da equipa da casa com o árbitro
Numa primeira parte muito disputada os jogadores de ambas as equipas lutaram pela posse de bola
Arrancadas de David Villa deram muitas dores de cabeça ao defesa brasileiro Marcelo
Luso-brasileiro Pepe viu-se e desejou-se para travar jogadas de Messi
Messi festeja golo com o recém-entrado Afellay, que fez assistência para golo
Num momento decisivo do jogo, Wolfgang Stark expulsou Pepe devido a uma entrada dura sobre Daniel Alves
Avançado português enfrentou uma defesa do Barcelona com muitos remendos, com o médio Mascherano a desempenhar funções mais defensivas
Catalão Piqué voltou a demonstrar muito nervosismo no relvado dos rivais de Madrid, sendo acalmado por Sergio Ramos
Cristiano Ronaldo rematou muitas vezes mas encontrou sempre um obstáculo no caminho da baliza
Triunfo em casa do rival foi muito festejado pelos catalães, que ficaram com um pé na final da Champions
Do outro lado do campo foi o ex-benfiquista Di María que fez tremer Dani Alves
Avançado argentino inaugurou o marcador no Santiago Bernabéu
Furioso com a expulsão do seu jogador, Mourinho protestou até receber ordem para ver o resto do jogo na bancada
Depois de uma jogada individual em que passou por metade da equipa do Real Madrid, Messi fez o segundo golo
José Mourinho e Pep Guardiola fizeram um duelo táctico que não resultou em golos enquanto as duas equipas jogaram com dez
Cristiano Ronaldo e Lionel Messi eram os principais candidatos a homem do jogo. No final o português ficou a milhas do argentino
Depois do apito final Xabi Alonso demonstrou o descontentamento da equipa da casa com o árbitro
Numa primeira parte muito disputada os jogadores de ambas as equipas lutaram pela posse de bola
Arrancadas de David Villa deram muitas dores de cabeça ao defesa brasileiro Marcelo
Luso-brasileiro Pepe viu-se e desejou-se para travar jogadas de Messi
Messi festeja golo com o recém-entrado Afellay, que fez assistência para golo

O argentino marcou os dois golos do triunfo catalão que praticamente afastam o Real Madrid da final de Londres, numa altura em que o Real actuava em inferioridade, por expulsão de Pepe.

O 1-0 a passe de Afellay, no primeiro grande lance do jogo, aos 76’, e o segundo numa obra-prima individual que entrará na galeria dos melhores momentos da carreira. A primeira parte terminou com 71 por cento de posse de bola do Barcelona, quase sempre para o lado e para trás, com escassos minutos de pressão e velocidade do Real Madrid. Sem oportunidades, sem lances de emoção, terão sido os 45 minutos mais aborrecidos da época, denunciando a excessiva preocupação dos treinadores em que nada ficasse já decidido.

Na segunda parte, o mau espectáculo prosseguiu, embora mais enervado, ficando condicionado por uma entrada excessiva de Pepe que o árbitro puniu com cartão vermelho, a deixar o Real com menos uma unidade, como habitualmente, a meia hora do fim. E também sem treinador, pois Mourinho deixou-se trair pelos nervos, talvez adivinhando as consequências catastróficas do erro do internacional português para a estratégia traçada – que passou por deixar os três pontas-de-lança no banco.

Guardiola respondeu com a entrada de Afellay, e o holandês correspondeu, quebrando os rins a Marcelo para oferecer o golo a Messi, num golpe magistral, um flash de grande futebol num espectáculo, até aí, horrível. O Real estava derrotado e ainda teve de suportar o acesso de génio de Messi.

"ESTAMOS ELIMINADOS"

"Sim, já estamos eliminados. Às vezes dá-me nojo viver neste mundo. Vamos a Barcelona com todo o nosso orgulho, sem Pepe nem Ramos, que não fizeram nada. Se disser o que penso, a minha carreira acaba hoje", acrescentou.

Já Cristiano Ronaldo afirmou que não gostou da táctica do Real: "Não gosto de jogar assim, mas tenho de me adaptar. Messi? Contra dez é mais fácil."

OS TREINADORES, POR OCTÁVIO MACHADO (Treinador)

Este encontro resume-se facilmente. A expulsão de Pepe desequilibrou completamente a partida. Até aí, as duas equipas anularam-se. Após o vermelho, o Barcelona teve mais espaços e conseguiu jogar no meio-campo do Real Madrid, o que raramente tinha feito. A partir daí já se sabe. O Barça é uma grande equipa, com grande circulação de bola, grande mobilidade e com um modelo de jogo consolidado. Em vantagem numérica, Lionel Messi pôde dar azo à sua criatividade e imaginação. O argentino acabou por fechar o resultado com um grande golo. A desejada final Manchester United-Barcelona vai repetir-se.

JOSÉ MOURINHO

POSITIVO

Pressão alta

A estratégia de José Mourinho no encontro da Champions passou por fazer pressão forte no meio--campo adversário, o que permitiu tirar a iniciativa de jogo ao Barcelona.

NEGATIVO

Falta de iniciativa

Depois da primeira parte, o Real não foi capaz de criar desequilíbrios e de ter iniciativas que permitissem incomodar o Barcelona. Talvez Kaká ou Higuaín pudessem ter alterado alguma coisa.

PEP GUARDIOLA

POSITIVO

Paciência e inteligência

Quando se apanhou em superioridade numérica, Guardiola ganhou a partida. Foi paciente e soube aproveitar a conflitualidade do jogo. O Barça soube lidar com a pressão e foi mais inteligente.

NEGATIVO

Encostado às cordas

O Barcelona sentiu muitas dificuldades, até à expulsão de Pepe, para se libertar da pressão do Real Madrid. Depois, quem tem jogadores como Messi, fica tudo mais fácil.

FICHA DO JOGO

Champions – ‘Meias’ 1.ª mão – 27/04/2011

Estádio Santiago Bernabéu – Assistência: 80 000

Golos: 0-1 Messi (76’), 0-2 Messi (87’)

REAL MADRID

Casillas, Arbeloa,Sergio Ramos, Albiol, Marcelo, Pepe, Xabi Alonso, Lass Diarra, Ozil (Adebayor 45’), Cristiano Ronaldo, Di María.

Suplentes não utilizados: Adán, Kaká, Benzema, Granero, Garay, Higuaín

Treinador: José Mourinho

BARCELONA

Valdés, Daniel Alves, Piqué, Busquets, Puyol, Xavi, Mascherano, Keita, Pedro Rodriguez (Afellay 71’), Messi, David Villa (S. Roberto 90+1’).

Suplentes não utilizados: Pinto, Jeffren, Milito, Thiago Alcântara

Treinador: Pep Guardiola

Árbitro: Wolfgang Stark (Alemanha)

Disciplina: amarelos: Arbeloa (40’), D. Alves (44’), S. Ramos (53’), Mascherano (57’), Adebayor (83’) VERMELHOS: Pinto (no intervalo), Pepe (61’). Mourinho recebeu ordem de expulsão (64’).

Classificação do jogo: 6

BARCELONA REAL MADRID GUARDIOLA MESSI RONALDO MOURINHO CHAMPIONS LIGA DOS CAMPEÕES FUTEBOL
Ver comentários