Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Ginastas alemãs usam fato completo nos Jogos Olímpicos em defesa da liberdade de escolha

Atletas já tinham usado fato completo nos Campeonatos Europeus, num movimento contra a sexualização da modalidade.
Reuters 26 de Julho de 2021 às 11:17
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis
O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis

As ginastas alemãs a competir nos Jogos Olímpicos de Tóquio optaram por utilizar fatos completos durante as provas de qualificação, este domingo. O objetivo é promover a liberdade de escolha e encorajar as atletas a vestirem aquilo com que se sentirem confortáveis.

A equipa, composta por Sarah Voss, Pauline Pauline Schaefer-Betz, Elisabeth Seitz e Kim Bui, competiu com "unitards" vermelhos e brancos, ou seja, com um maiô de ginástica e leggins até aos tornozelos.

As alemãs tinham utilizado fato completo durante as sessões de treino, na quinta-feira, e já tinham afirmado que deveriam voltar a utilizar a mesma indumentária na competição.

 "Queremos que todos se sintam confortáveis e mostrar a todos que podem usar o que quiserem e ficar com uma aparência incrível, sentirem-se incríveis, seja com um fato completo ou curto", disse a ginasta Sarah Voss.

As atletas alemãs já tinham usado fato completo nos Campeonatos Europeus, em abril, num movimento contra a sexualização da modalidade. A iniciativa foi amplamente elogiada.

Sarah Voss afirmou que a equipa está interessada em que esta tendência se torne popular e que fica feliz por estar a ser vista como um modelo a seguir.

A ginástica é uma modalidade que tem estado envolvida em várias polémicas nos últimos anos, com vários casos de abuso físico e sexual, o que motivou a criação de novos protocolos destinados a proteger as atletas, que, geralmente, se iniciam na modalidade muito jovens.

Para as mulheres, o uniforme de competição costuma consistir num maiô de manga curta ou comprida. Os fatos completos são autorizados em competições internacionais, mas, por norma, apenas são utilizados por motivos religiosos.

Ver comentários