Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

GOLEADA DÁ PONTAPÉ NA CRISE

Um Benfica com espírito e energia renovados goleou ontem o Paços de Ferreira por 7-0 e subiu ao segundo lugar da SuperLiga. Mesmo sem Simão, Zahovic e Argel, três habituais titulares até há bem pouco tempo, a equipa da Luz venceu e mostrou a força patenteada no início da época, que então lhe valeu quatro vitórias nas primeiras quatro jornadas. O jovem Tiago foi o melhor em campo e apontou mesmo dois golos.
11 de Novembro de 2002 às 00:01
A alegria voltou assim às bancadas da Luz, os adeptos fizeram as pazes com a equipa e Jesualdo Ferreira vive, agora, momentos de maior tranquilidade.

Ontem, o treinador benfiquista apostou no esquema que tem sido habitual, alterando apenas algumas ‘pedras’ na equipa. Nuno Gomes regressou após lesão e fez dupla com Mantorras no ataque benfiquista, contando com o apoio de Roger, que conquistou a titularidade em detrimento do castigado Simão.

O sueco Andersson manteve a titularidade e registou uma agradável exibição. Pela frente esteve um Paços de Ferreira perigoso, mas que foi traído pela sua defesa, muito abaixo daquilo que vem sendo habitual, daí o resultado tão expressivo. Por sua vez, o Benfica evidenciou logo de início uma postura ofensiva e bem mais agressiva do que é costume. Um meio-campo forte, apesar da ausência de Petit, contou com a inspiração de Tiago e a consistência de Ednilson, também ele um dos melhores da equipa.

Os resultados foram notórios e o acerto da equipa cedo começou a dar frutos. Os ‘encarnados’ foram criando perigo junto da baliza pacense e, aos 18 minutos, o médio Tiago inaugurou o marcador, com um chapéu a Pinho. Pouco depois, à passagem da meia hora, foi a vez de Roger marcar na sequência de um remate fora da área, com a bola a tabelar num defesa e a trair o guarda-redes pacense. Ainda antes do intervalo, Tiago apontou o terceiro golo ‘encarnado’ e o jogo ficou sentenciado.

No segundo tempo, o Benfica mostrou-se tranquilo, com confiança, e partiu para a goleada, apontando mais quatro golos. Nuno Gomes (60') João Manuel Pinto (69') e Mantorras (76' e 90') levaram ao rubro as bancadas. Numa noite de festa, em que o Benfica impôs a maior goleada do campeonato, há mais pormenores a registar: Mantorras estreou-se a marcar na SuperLiga; Hélder, o único jogador do plantel que já foi campeão pelo Benfica (1993/94), efectuou a sua primeira partida na prova e Martins dos Santos, ao contrário do que é habitual, não mostrou um único cartão.

Ontem os lenços brancos já não foram mostrados na Luz. A goleada selou a reconciliação com os adeptos e a equipa ganhou a ambicionada tranquilidade para voltar a lutar pelo título.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)