Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

GOLO CONTRA RAZÃO

Sanchez´foi despedido, e um dia alguém há-de explicar porquê agora, se o Boavista joga tão mal como sempre jogou
9 de Março de 2004 às 01:37
1.Palatsi. Olhando com atenção, percebe-se que é mais uma grande falha do que um grande golo, mas nem por isso deixa de ser um tento de baliza a baliza, a suprema maldade de um guarda-redes: marcar assim ao colega do outro lado do campo. Enfim, Palatsi tem sido dos menos culpados pela temporada horrível do Vitória, bem merecia a sorte que teve frente ao Moreirense. O golo entra para os melhores momentos da SuperLiga. Obviamente. Tem sempre graça quando o futebol escapa à razão. É nesses instantes, quando a bola adquire vida própria, que nos recordamos do essencial: isto é um jogo.
2.Sanchez. Foi despedido, e um dia alguém há-de explicar porquê agora, se o Boavista joga tão mal como sempre jogou. Para Sanchez, termina a primeira etapa da precoce carreira de treinador e ninguém pode dizer que as coisas andaram bem. Os resultados foram sofríveis e, pior do que isso, o boliviano não demonstrou vontade de alterar o futebol herdado de Jaime Pacheco. Ou, opção ainda mais inquietante, não quis fazê-lo, por acreditar naquela forma de estar.
3.Rossato. Pode não ser o melhor defesa-esquerdo da SuperLiga, mas é pelo menos aquele que mais gosto dá ver jogar, de todos o mais ofensivo. Este domingo, mais duas assistências e nova vitória do Nacional. O amigo Adriano agradece. Nós também.
4.Benfica. Para muitos, a noite de Trondheim foi uma vergonha, quase uma traição ao nome do Benfica. Para mim, não. Na Noruega, o Benfica jogou quase nada, mas teve pelo menos o querer das equipas que gostam de ganhar. Escolheu um caminho e sofreu o que foi preciso para seguir em frente na Taça UEFA. Também por isso teve sorte. Em Barcelos, a equipa usou mais a bola (era melhor...), mas só ganhou porque soube resistir com humildade aos melhores períodos do adversário. E por isso passou um teste que era delicado. Excelente o golo de Geovanni, curiosa a estreia a marcar de Manuel Fernandes. É muito cedo para emitir opinião sobre este médio construído na Luz, mas os primeiros sinais são agradáveis.
5.Sporting. Dez minutos chegaram. O Sporting ganhou muito bem em Aveiro, a um Beira-Mar que só venceu uma vez em 2004. O ataque agradeceu a chegada de Lourenço. Parece evidente, desde o início da temporada, que o estilo rápido e mexido do jovem avançado casa com a forma de jogar do Sporting. Falta a Lourenço maior tranquilidade, algo que aparecerá com o tempo.
6.FC Porto. Menos um jogo para o título, mais uma preocupação para Inácio. O Belenenses reinventou o balneário a meio da temporada, já vai no terceiro treinador, enfim, tem tudo para dar errado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)