Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

GOLO DE CLAYTON FEZ LEMBRAR CALCANHAR DE MADJER

Com a passagem aos quartos-de-final da Taça UEFA praticamente assegurada, após a vitória nas Antas por 6-1, o FC Porto foi ontem empatar à Turquia com o Denizlispor a duas bolas.
27 de Fevereiro de 2003 às 21:37
Missão cumprida, concluiu Mourinho
Missão cumprida, concluiu Mourinho FOTO: Arquivo CM
Um bonito golo de calcanhar de Clayton permitiu a igualdade, depois dos portistas terem estado a vencer por 1-0. Mas à memória veio a final de Viena, em 1987, quando Madjer marcou um golo semelhante frente ao Bayern de Munique e que garantiu a conquista da Taça dos Campeões europeus para os ‘azuis-e-brancos’.

Sem alguns dos habituais titulares, uns por opção técnica – Maniche, Hélder Postiga e Pedro Emanuel –, outros por força das circunstâncias – Costinha e Nuno Valente, lesionados, e Paulo Ferreira castigado – a formação de Mourinho até realizou uma boa primeira parte, mas caiu no segundo tempo.

Após uma etapa inaugural tranquila e com o FC Porto a controlar as operações, os turcos apareceram mais agressivos no segundo tempo e deram a volta ao marcador, passando de uma desvantagem de 0-1 para 2-1, aproveitando alguma passividade da defesa portista. Jorge Costa não está isento de culpas no primeiro tento e no segundo, quando tinha o esférico controlado, deixou-se ultrapassar por Ozkan, que não falhou perante a saída de Vítor Baía.

Valeu o grande golo de Clayton, a quatro minutos do fim, que permitiu o empate e mais um ponto para Portugal no ‘ranking’ da UEFA.

Certo é que o próximo adversário dos portistas, nos quartos-de-final da competição, são os gregos do Panathinaikos.

Entretanto, o aspecto positivo desta partida vai inteiramente para o tento de calcanhar apontado por Clayton aos 86 minutos foi o momento mais bonito do jogo, que nos remete para o golo de Madjer na final da Taça dos Campeões Europeus em 1987.
Pela negativa destaca-se Jorge Costa. Ontem foi um dia negativo para o ‘capitão’ portista, que não esteve ao seu nível habitual. Apesar de algumas boas intervenções, Jorge Costa falhou nos dois golos sofridos.
Ver comentários