Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Guedes com Franco e Teles apoia venda

Filipe Soares Franco, presidente interino e candidato às eleições do Sporting desde que o seu projecto, leia-se a aprovação da alienação de património de uso não desportivo, passe na assembleia geral (AG) de dia 23, prepara-se para apresentar mais um apoiante de peso.
17 de Fevereiro de 2006 às 00:00
 Vaz Guedes, à esquerda, pode juntar-se a Soares Franco. Ribeiro Teles aprova alienação de imóveis
Vaz Guedes, à esquerda, pode juntar-se a Soares Franco. Ribeiro Teles aprova alienação de imóveis FOTO: DR
Segundo o CM apurou, Diogo Vaz Guedes, actual presidente do Conselho de Administração da Somague, está na calha para integrar a lista a apresentar por Soares Franco aos corpos sociais do emblema ‘leonino’, desconhecendo-se, contudo, qual o cargo a desempenhar pelo homem que construiu cinco dos dez estádios que acolheram o Euro’2004, incluindo a Luz e o Dragão.
E, por falar em apoios, em vésperas de uma AG que se prevê concorrida, também Miguel Ribeiro Teles se prepara para se posicionar ao lado de Soares Franco. O ex-vice presidente do clube e ex-líder da SAD deverá marcar presença na AG e votar favoravelmente a venda de património preconizada pelo sucessor de Dias da Cunha. Aliás, há já alguns meses que Teles vinha alertando para esta necessidade, de modo a fazer face aos compromissos assumidos – recorde-se que existe um défice de 16,8 milhões de euros. Ainda por confirmar, apesar da “disponibilidade” manifestada pelo ex-dirigente “para ajudar o presidente”, está a sua inclusão na lista de Soares Franco.
Quanto a Vaz Guedes, para já, prefere manter-se em silêncio, mesmo admitindo pressões de vários quadrantes sportinguistas para integrar uma lista. Aliás, ontem, a Renascença, noticiava mesmo a possibilidade do presidente da Somague poder concorrer à liderança do clube, cenário que, sabe o CM, dificilmente se colocará. A sua provável entrada em cena no emblema ‘leonino’ estará, isso sim, intimamente relacionada com os laços de amizade que o ligam a Soares Franco. É certo que Vaz Guedes ainda não deu uma resposta final ao convite endereçado, mas, de acordo com fontes próximas dos visados, é muito forte a possibilidade deste aceder ao repto.
Conhecido sportinguista, Vaz Guedes, 43 anos, lisboeta, casado e pai de três filhos, é, entre outros cargos que ocupa, membro do Conselho Leonino. Enquanto empresário, passou pela administração de diversas empresas, antes de assumir a presidência da Somague. A sua credibilidade e boa reputação junto da banca são conhecidas. Guedes esteve incontactável até ao fecho desta edição.
MEIRELES DIZ-SE ALVO 'DE ATAQUES'
Rui Meireles, director financeiro do Sporting, viu-se envolvido nas recentes polémicas em torno das contas do clube e na troca de acusações entre alguns pesos-pesados de Alvalade – os ex-presidentes Dias da Cunha e José Roquette, por exemplo, referiram-se ao seu pelouro.
Mas o dirigente ‘leonino’, apesar de não esconder alguma desilusão relativamente aos recentes episódios que agitaram Alvalade, prefere, para já, adiar uma resposta que, ainda assim, agenda para breve. “Até à AG não me vou pronunciar. Julgo que não é o momento oportuno para responder aos ataques que, directa ou indirectamente, me têm feito. Mas em devido tempo farei a minha defesa”, disse ao Correio da Manhã aquele que é um dos mais antigos responsáveis em funções na estrutura empresarial do grupo Sporting. “Tenho ouvido muitos disparates”, admitiu Meireles, escusando-se, contudo, a enumerar directamente os alvos das suas palavras.
GRAÇA CAUSA DESCONFORTO
O que parecia ser um gracejo de Lauro António sobre as finanças do Sporting acabou por criar um sério desconforto em Alvalade. O conhecido crítico de cinema está a colaborar com a Comissão das Comemorações do Centenário do clube ‘leonino’ e ontem apresentou o ‘Fest_Sport, Lisboa’2006’ (um festival internacional de cinema e vídeo sobre desporto). Tudo corria normalmente quando Lauro António, relembrando as dificuldades financeiras dos clubes portugueses e do Sporting, explicou que os prémios para os vencedores do festival seriam simbólicos porque “o Sporting não nada em dinheiro”. Ao ouvir este comentário, Soares Franco, presidente ‘leonino’, não escondeu o desconforto e pior ficou quando Lauro António afirmou que ele e outras figuras públicas envolvidas nas actividades culturais da comemoração do centenário participavam por “amor à camisola”, porque, sublinhou, “o Sporting não tem dinheiro para nos pagar”. No final da conferência Soares Franco saiu rapidamente, não sem antes se dirigir a Lauro António: “Obrigado pela sua colaboração generosa”.
APONTAMENTOS
DIAS DA CUNHA CRITICA
O ex-presidente do Sporting, Dias da Cunha, voltou ontem a criticar a intenção de Soares Franco em alienar parte do património do clube. O actual líder do clube de Alvalade vai propor em Assembleia Geral extraordinária, quinta-feira, a alienação de imóveis não afectos ao uso desportivo, casos do Edifício Visconde de Alvalade, o Alvaláxia, o ‘Health Club’ e a clínica. Dias da Cunha relembrou que o entendimento entre bancos e o clube quanto à alienação de património “configurou-se sempre como uma operação financeira e não como uma venda sem retorno”. Soares Franco remeteu uma resposta para mais tarde: “Esclareço tudo na AG, o local próprio para isso”.
BENTO PREPARA PAÇOS
À margem do clima pré-eleitoral, o treinador Paulo Bento intensificou ontem a preparação da equipa para a recepção ao P. Ferreira, contando com a quase totalidade do grupo de trabalho à sua disposição. Carlos Martins regressou aos treinos, depois de ter sido dispensado na véspera para tratar de assuntos pessoais.
Ver comentários