Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Indemnizado após morrer

O Tribunal de Paredes condenou o Aliados de Lordelo a pagar 46 mil euros à família de Jorge Humberto, antigo árbitro – já falecido – que foi agredido em 1998 com um tijolo na cabeça. O caso aconteceu após um jogo entre o Aliados e o Sousense (distritais do Porto).

18 de Fevereiro de 2009 às 00:30
Tribunal e colegas do juiz
Tribunal e colegas do juiz FOTO: Sérgio Cardoso

Jorge Humberto ficou alguns dias em coma mas viria a recuperar dessa lesão. O árbitro interpôs então um pedido de indemnização à Associação de Futebol do Porto (AFP) e ao Aliados, mas acabaria por não resistir, em 2003, a uma doença que, segundo o advogado da família, Luís Samagaio, não teve ligação à agressão.

Contudo, a família decidiu seguir com a acção que agora chega ao fim. O Tribunal de Paredes absolveu a AFP, mas condenou o clube de Lordelo a uma indemnização a ser entregue à viúva e à filha do antigo árbitro do Porto. Foi provada a responsabilidade do Aliados, devido à presença de várias pessoas em cima do balneário dos árbitros, de onde foi arremessado o bloco de cimento. O autor da agressão a Jorge Humberto nunca foi encontrado, pelo que o processo-crime então instaurado foi arquivado.

APONTAMENTOS

MÁ-FÉ

O Aliados de Lordelo foi ainda condenado a uma multa por má-fé no processo. O clube defendia que Jorge Humberto tinha escorregado.

RECURSO

O clube de Paredes, que agora milita na 2.ª Divisão nacional, já tornou público que irá recorrer desta indemnização de 46 mil euros a pagar ao antigo árbitro.

SATISFEITA

O CM apurou que a família de Humberto está satisfeita, apesar da discrepância entre o valor que pedia (108 mil euros) e o que irá receber (46 mil euros).

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)