Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

INSULARES MERECIAM MAIS

O V. Setúbal pode dizer que a Madeira foi um local apetecível este ano, uma vez que depois de ter goleado o Marítimo nos Barreiros, conseguiu arrecadar mais um ponto na Choupana.
28 de Outubro de 2002 às 00:14
Os homens de Luís Campos cedo mostraram as suas pretensões, apostando no contra-ataque como forma de ultrapassar o último reduto madeirense, dando frutos aos 16 minutos. Jorginho, após jogada individual, isolou Meyong, que frente a Nuno Carrapato não teve dificuldades para fazer funcionar o marcador.

A turma da casa procurou logo ir à procura do prejuízo e não fosse o azar e alguma "azelhice", teriam ido para o intervalo com a igualdade.

Para a 2.ª parte, José Peseiro deixou no balneário Tonanha e colocou o avançado Adriano. À passagem dos primeiros dez minutos desta etapa, já Adriano tinha empatado a contenda, através de um remate rasteiro e colocado, aproveitando excelente iniciativa de Carlos Alvarez. Pensava-se que Luís Campos pudesse arriscar mais, mas foi Peseiro quem o fez, lançando mais um avançado.

Contudo, na zona de decisão faltou sempre algum discernimento à turma madeirense, que não conseguiu traduzir em golos a superioridade evidente dentro das quatro linhas.

Adriano

A entrada do brasileiro veio em boa hora. Marcou o golo do Nacional e podia ter dado a vitória à sua equipa.

Gouveia

O encontro estava já no seu término, quando perdeu a cabeça e fez uma entrada violenta sobre Hélio. Bem expulso.
Ver comentários