Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Jogadores dão mais uma semana

O prazo dado pelos jogadores do Estoril Praia e da Ovarense esgotou-se ontem sem que as respectivas entidades patronais tivessem feito o pagamento dos vencimentos em atraso.
12 de Novembro de 2005 às 00:00
No caso do clube nortenho, foi pago parte de um vencimento (30 por cento), mas tal medida não demoveu os jogadores de avançar para o pré-aviso formal de rescisão, que seguiu ainda ontem, por faxe. Igual medida foi colocada em prática pelos atletas do Estoril, cujo plantel compareceu em peso na sede do Sindicato, onde esteve reunido para discutir os próximos passos da luta. O pré-aviso formal, no fundo, dá mais uma semana aos dirigentes, ainda que o seu prazo legal seja de apenas três dias úteis. Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato, nem sequer dá grande importância à data em que vencem os três dias. “Será quarta ou quinta-feira, mas isso é o menos. O que importa é que na próxima sexta-feira estaremos aqui de novo a comunicar se os jogadores avançam, de facto, para as rescisões”. Marco Paulo, ‘capitão’ estorilista, lamentou que nem sequer sejam dadas garantias de pagamento para breve, embora tivesse reconhecido o empenhamento dos administradores. Para já, os jogadores vão continuar a honrar os seus compromissos. Evangelista manteve ontem um discurso muito crítico em relação aos dirigentes, em geral, referindo que nesta cadeia os jogadores acabam por ser o elo mais fraco. “No futebol português, os jogadores são muito desvalorizados. As pessoas têm uma ideia errada de que todos são estrelas e ganham como o Figo, o Rui Costa ou o Cristiano Ronaldo. Não é assim. Estes jogadores precisam de dinheiro para viver, mais a mais nesta altura, em que chega o Natal e todos têm família.”
O Sindicato continua a disponibilizar um fundo destinado aos casos mais urgentes. Evangelista não diz quantos jogadores estão a recorrer a esse fundo, mas deu outros números. “Em 2003 o fundo libertou 17 mil euros, em 2004, 36 mil euros, este ano já vamos nos 40 mil euros.”
LAURENTINO DÁ 'AMARELO' AOS DIRIGENTES
O secretário de Estado da Juventude e Desporto, Laurentino Dias, mostrou um cartão amarelo aos dirigentes e manifestou a disponibilidade do Governo em colaborar no estudo dos meios para capacitar e fiscalizar os clubes de forma a acabar com as crescentes situações de salários em atraso. “Temos os melhores treinadores, jogadores e estádios do mundo, agora é preciso que tenhamos os melhores dirigentes do mundo”, disparou Laurentino Dias, alertando: “Os salários em atraso devem-se à incapacidade dos clubes em cumprir contratos. É preciso que os clubes deixem de viver acima das suas potencialidades”. Mais, Laurentino Dias não esconde o seu desagrado por a federação de futebol se assumir como independente financeiramente, enquanto os clubes que dela fazem parte passam por dificuldades.
FARENSE ACABA COM SÉNIORES
Está decidido, o Farense vai desistir do Distrital do Algarve em Seniores. Foi essa a informação ontem prestada pelo treinador Hassan, que não quer continuar a ‘sacrificar’ os juniores.
“Não vamos jogar. Os jogadores não foram inscritos e não podemos continuar a pedir mais esforços aos juniores. O Farense vai ser desclassificado e vai ficar um ano suspenso. Nunca imaginei que chegasse a este ponto. Dói muito ver os putos jogar no sábado e no domingo. Também é mau para o início da minha carreira de treinador”, revelou ao ‘MaisFutebol’. Recorde-se que o Farense não pode inscrever jogadores desde o início da época, devido a dívidas antigas (500 mil euros) pelo que a direcção tem recorrido aos juniores para evitar uma terceira falta de comparência que ditaria a suspensão do clube por um ano.
Ver comentários