Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

José Mourinho perdoa a Cani

Estou contente por lhe terem tirado o cartão [vermelho], porque gosto dos jogadores no campo e Cani é importante para o Villarreal. Para mim, não há nenhum problema que não seja castigado", disse ontem José Mourinho sobre a despenalização ao atleta que lhe atirou com uma garrafa, quando festejou a reviravolta no resultado no jogo de domingo entre o Real Madrid e o Villarreal (4-2).
13 de Janeiro de 2011 às 00:30
José Mourinho festejou golo do Real junto ao banco do Villarreal e Cani atirou-lhe com uma garrafa de água
José Mourinho festejou golo do Real junto ao banco do Villarreal e Cani atirou-lhe com uma garrafa de água FOTO: Epa

No entanto, o melhor treinador do Mundo de 2010 fez questão de frisar: "Se fosse eu a atirar a garrafa, nunca mais voltava ao banco. Não há problema, a garrafa era de plástico e estava quase sem água. Foi um gesto de alguém que pensa que tudo o que faço tem uma conotação negativa."

O técnico português saiu ainda em defesa dos seus jogadores, admitindo que se tivesse sido um deles a atirar a garrafa seria "castigado durante três meses".

Na antevisão ao jogo de hoje da primeira mão dos quartos-de-final da Taça do Rei, diante do Atlético de Madrid (21h00, Sport TV1), ‘ El Especial’ afirmou estar consciente de que vai encontrar uma equipa "ferida" e "perigosa", depois da derrota (1-4) frente ao Hércules, na última jornada da Liga espanhola. 

CANI JOSÉ MOURINHO VILLAREAL REAL MADRID GARRAFA JOGO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)