Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

JÚNIOR PERTO DA LUZ

O defesa Júnior está perto de ingressar no Benfica. A SAD ‘encarnada’ e o Parma têm, nos últimos dias, mantido contactos telefónicos e o entendimento entre os clubes está muito perto de acontecer.
17 de Janeiro de 2003 às 00:07
A disponibilidade negocial do Parma em ceder o jogador e a vontade de Júnior em rumar à Luz assumem-se como factores fundamentais e a transacção pode mesmo estar muito perto de se concretizar.

O clube italiano já terá mesmo concordado em pagar pelo menos metade do ordenado do jogador, comparticipação essa que pode mesmo chegar aos 60 por cento. Pelo menos, essa seria a vontade do Benfica, que ficaria depois com o direito de opção sobre o defesa. Aliás, este é um dos aspectos que agrada ao clube transalpino, que pretende vender o jogador, de 29 anos, e recuperar algum do investimento feito com a sua contratação.

Para já, as conversações parecem estar bem encaminhadas e hoje mesmo as negociações podem conhecer significativos avanços. Certo é que até ontem, tanto o jogador como o seu representante legal, Oliveira Júnior, ainda não haviam sido contactados ou informados sobre o bom andamento das negociações.

Ao Correio da Manhã, o empresário de Júnior disse que espera por um contacto dos clubes. “Estou à espera. Neste momento não sei de nada. Posso dizer é que para haver acordo total a negociação tem de passar por mim, uma vez que sou o representante do jogador”, explicou Oliveira Júnior.

Contudo, o atleta já demonstrou vontade em jogar na Luz, pelo que depois do acordo entre os clubes, o entendimento com o jogador será, em princípio, fácil.

MAIS UM AVANÇADO

O que prometia ser um mês de Janeiro tranquilo, dadas as limitações financeiras do Benfica está, afinal, a ser bastante agitado. Os ‘encarnados’ querem satisfazer os desejos de Camacho e, em parte, com isso convencer o espanhol a ficar na Luz depois do final da temporada.

Por isso, devem mesmo virar as baterias para o empréstimo de um avançado. Mantorras está lesionado, Fehér também e vai parar seis semanas, enquanto Sokota está sem ritmo. Antes, já Camacho tinha levantado a questão de que necessitava de um avançado e com apenas Nuno Gomes disponível, a contratação de um ponta-de-lança por empréstimo pode ser uma prioridade.

Mais uma vez a questão financeira surge como um dos principais entraves para satisfazer Camacho, mas a SAD ‘encarnada’ estará mesmo no mercado atenta a um avançado. Ontem, António Simões, director-geral da SAD, e Camacho terão mesmo reunido para abordar esta questão.

BENFICA JOGA NO ESTÁDIO NACIONAL

O Benfica vai jogar as últimas cinco jornadas da SuperLiga no Estádio Nacional. O acordo foi ontem estabelecido, depois de Luís Filipe Vieira e Tinoco de Faria se terem deslocado ao Estádio Nacional para ultimar os pormenores de um protocolo de utilização do recinto.

É que o processo de demolição do ‘velho’ Estádio da Luz vai avançar a passos largos a partir de meados de Abril e o Benfica terá, a partir daí, de jogar noutro campo, que será no Jamor. “É um protocolo muito simples, que prevê a utilização do Estádio Nacional para alguns jogos do Benfica. Convencionámos com a direcção do Estádio Nacional a autorização para esse efeito e o Benfica jogará aqui, quando o actual Estádio da Luz se tornar inutilizável”, explicou Tinoco Faria, vice-presidente do clube.

Refira-se que o Benfica-Sporting, na 30.ª jornada da SuperLiga, já será disputado no Estádio Nacional.

NUNO GOMES NEGA CRISE DE CONFIANÇA

Nuno Gomes pode agora ter responsabilidade acrescida, depois das lesões de Mantorras e Fehér, além da falta de ritmo de Sokota. É o único avançado da equipa disponível e sobre ele recai a responsabilidade de marcar. Contudo, Nuno Gomes está tranquilo.

“Termos só um avançado são circunstâncias do futebol e eu sinto a mesma responsabilidade que já sentia quando aqui cheguei. Apenas espero que nada me aconteça para estar a 100 por cento e poder continuar a ajudar os meus colegas”, afirmou, desmentindo que esteja a atravessar alguma crise, uma vez que não tem marcado com regularidade. Até à 17.ª jornada só apontou quatro golos.

“Apenas não tenho marcado, só isso. Sinto-me o mesmo e espero voltar a marcar com a mesma regularidade de antigamente.”

Em relação a Geovanni, Nuno Gomes diz tratar-se de um bom jogador. “Fala a nossa língua, o que é importante. Espero que se adapte o mais rapidamente possível, pois pelas qualidades que tem demonstrado é um excelente profissional. O entendimento surgirá com o tempo”.
Ver comentários