Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Leandro Lima leva três meses

A Comissão Disciplinar (CD) da Liga de Clubes divulgou ontem o castigo de três meses de suspensão a Leandro Lima, por entrega de documentação falsa. Tal como o CM já havia avançado, o brasileiro do FC Porto – que terá de pagar uma multa de 1250 euros – chegou a Portugal como Luiz Leandro e com 20 anos mas, afinal, tem mais dois anos de idade e chama-se George Leandro.

24 de Maio de 2008 às 00:30
Leandro Lima, apesar do castigo, vai poder começar a época
Leandro Lima, apesar do castigo, vai poder começar a época FOTO: Manuel Araújo, Record

A decisão da CD não terá, no entanto, grandes consequências práticas na carreira do atleta portista, até porque Leandro Lima já cumpriu 45 dias de suspensão, quando esteve afastado preventivamente pela Liga. Quanto à metade que resta, será cumprida durante as férias, pelo que o médio poderá competir assim que regressar do Brasil.

Ilibado de qualquer responsabilidade, tal como o CM noticiou, ficou o FC Porto, que, porém, terá de desembolsar 2750 euros, relativos a uma violação do artigo referente à requisição, envio e devolução de bilhetes. Tudo resultante do último Benfica-FC Porto, sendo que o clube da Luz foi condenado a pagar a mesma quantia.

BENÍTEZ ASSINA

É mais um reforço que chega da Argentina. Nelson Benítez, lateral-esquerdo argentino que completa hoje 24 anos, assinou por quatro temporadas.

Os dragões desembolsam um milhão de euros, que chegará ao Lánus, clube pelo qual Benítez participou, nesta temporada, em 21 jogos, sendo apenas titular em 12 ocasiões.

Uma comitiva de responsáveis portistas deslocou-se à Argentina para assegurar a contratação de Tomás Costa mas na bagagem vem também um reforço para a ala esquerda da defesa.

Rosario Central e Lánus, clubes de ‘Tomy’ Costa e Nelson Benítez, defrontam-se neste fim-de-semana, no Torneio de Encerramento, na Argentina.

MADUREIRA: "SÓ DISSERAM, ALGEMA O ARTISTA"

"Algema o artista": terão sido estas as palavras que os quatro agentes da Polícia disseram a Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, quando o retiraram da bancada do Estádio Nacional enquanto decorria a final da Taça de Portugal, que registou a vitória do Sporting (2-0). A PSP já reagiu , afirmando que se limitou a cumprir a lei "fazendo cessar a sua participação nos incidentes".

O líder dos Super Dragões diz ter sido abordado por quatro elemento da Polícia à civil, que o algemaram e retiraram do recinto. "Fui levado para o parque de estacionamento por cima da bancada e colocaram-me atrás de um jipe da Polícia. Chamaram-me ‘super-homem’ e ‘banana’ mas não reagi", prosseguiu Madureira, acrescentando: "Quem me algemou não estava a fazer o policiamento ao recinto. Eram de outro sítio qualquer, porque eu não os conhecia."

A PSP limitou-se a referir: "Foi retirado compulsivamente, de acordo com a lei, fazendo cessar a sua participação nos incidentes".

 

Ver comentários