Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Leão demolidor em Guimarães

Incrível golo madrugador de Bruno Fernandes e bis de Bas Dost tranquilizaram verdes-e-brancos nos primeiros 23 minutos.
Leonardo Ralha 20 de Agosto de 2017 às 01:30
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
Vitória de Guimarães-Sporting
As maldições existem para assombrar quem nelas acredita, mas também para serem quebradas. Chegado nesta época ao Sporting, Bruno Fernandes começou a desfazer a de Guimarães aos 3’, com o primeiro dos cinco golos ontem marcados pelos leões num estádio de onde não tinham trazido os 3 pontos nos últimos 3 anos, e foi o maestro que Jorge Jesus encontrou para manter a equipa entre os primeiros, ao lado do Benfica e do Rio Ave (FC Porto joga hoje com o Moreirense), após 3 jornadas.

Escolhido para companheiro de Bas Dost, Fernandes pouco demorou a assumir-se protagonista. Estava o jogo a começar quando afastou dois adversários com uma finta de corpo e rematou, forte e colocado, para a bola voar para as redes entre trave e poste. Miguel Silva nem tentou lançar-se, rendido à obra de arte, ainda sem imaginar o pesadelo que iria viver.

Assistido pelo holandês, que cabeceou para trás, o internacional sub-21 ficou perto de bisar aos 8’, rematando ao lado sem deixar cair a bola no relvado. Coube a Dost o 0-2, cabeceando na perfeição após um livre de Acuña (21’), e dois minutos depois o 0-3, fuzilando o desprotegido Miguel Silva, a passe de Coentrão.

Com três golos sem resposta aos 23 minutos, Jesus aparentava descontração no banco, talvez esquecido que na época passada chegou a ter a mesma vantagem naquele estádio. Já os jogadores mantiveram o ritmo, com Gelson Martins e Acuña a trocarem mais vezes entre direita e esquerda do que alguns candidatos autárquicos, e a muralha defensiva não permitiu veleidades a Raphinha, único da casa a tentar contrariar a corrente.

No início da segunda parte, Pedro Martins conseguiu que os seus jogadores equilibrassem, mas as substituições nada de bom trouxeram. O Sporting desperdiçou várias ocasiões antes de Bruno Fernandes voltar a recorrer à longa distância, levando a bola às redes aos 60’.

Jesus pôde então poupar Acuña, lançando Iuri, que mostrou visão de jogo e qualidade de passe, embora também tenha falhado um golo feito (79’). Coentrão e Mathieu, ambos com problemas, cederam lugar a Jonathan e André Pinto, sem alterar o domínio, que chegou à mão-cheia aos 85’, num remate fácil de Adrien.

Não houve mais golos, ficando por saber se vão aparecer quarta-feira com o Steaua na Champions. 

ANÁLISE 
Próprio para cardíacos
O Sporting entrou no jogo praticamente a ganhar e aos 23’ levava três golos de vantagem. Para os adeptos, e também para os jogadores leoninos, a deslocação a Guimarães permitiu alguma gestão de sofrimento antes da decisiva viagem à Roménia.

Aprendiz de feiticeiro
Gelson Martins poderá tornar-se num dos melhores jogadores do Mundo. Mas para chegar a esse patamar tem de ser letal frente aos guarda-redes, o que voltou a não acontecer, impedindo a contagem de chegar ou ultrapassar a meia dúzia. 

Uma dúvida e um cartão
Hugo Miguel teve um jogo tranquilo, marcado por um possível penálti de Bas Dost sobre Texeira (50’), embora o vídeo-árbitro tenha apoiado a decisão de deixar seguir. E ficou por mostrar cartão a Celis por pisar o calcanhar de Coentrão.

"O Sporting é uma equipa humilde"
"O Sporting está a dar os seus passos, é uma equipa humilde e para ganharmos temos de estar todos juntos", disse Jorge Jesus, que abordou o play-off da Champions: "É importante do ponto de vista financeiro, mas o objetivo principal é o campeonato."
Ver comentários