Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

LEIXÕES BATE GREGOS E ESPANTA EUROPA

O Leixões alcançou ontem uma brilhante vitória diante do PAOK, da Grécia, na primeira ‘mão’ da primeira eliminatória da Taça UEFA. Os golos do cabo-verdiano Brito e do brasileiro Detinho chegaram para o clube de Matosinhos continuar a fazer furor pela Europa fora.
17 de Setembro de 2002 às 23:40
O conjunto grego pode dar-se por muito feliz por ter saído do Estádio do Mar com apenas um golo de desvantagem.

Perante um público muito entusiasta, apesar da chuva, a equipa de Matosinhos não podia ter começado melhor. Aos quatro minutos de jogo, Abílio marcou um livre na direita, a defesa não aliviou e Brito, ao segundo poste, fez o primeiro golo dos nortenhos.

Em desvantagem, a equipa grega assumiu o comando do jogo e começou a criar várias situações de perigo, diante da baliza guardada por Rui Marcos. Fruto desse domínio o PAOK chegou à igualdade à passagem dos 24 minutos, beneficiando das raras falhas produzidas pelo sector mais recuado dos portugueses. Feutchine, defesa camaronês da formação grega, apontou um canto, surgindo Kukielka, a cabecear, à vontade, batendo o jovem Rui Marcos.

Após o golo da formação helénica e até ao termo da primeira parte o encontro decorreu em toada de algum equilíbrio mas sempre com o Leixões a levar o pânico até à baliza defendida por Pourlitopoulos.

Para a segunda metade Carlos Carvalhal deixou Pedras nos balneários fazendo entrar o possante avançado Detinho. O Leixões entrou mais ofensivo, instalando-se por completo no meio-campo da equipa do PAOK de Salónica.

Mergulho de Detinho

Para delírio dos cerca de seis mil espectadores, presentes no Estádio do Mar, a pressão da equipa leixonense não demorou muito a dar “frutos”. Aos 52 minutos, após várias insistências, Guerra centrou da direita para a entrada da pequena área, onde apareceu Detinho a mergulhar e a cabecear para a direita de um impotente Pourliotopoulos. Até ao final do encontro a equipa de Matosinhos foi desperdiçando oportunidades atrás de oportunidades para ampliar o marcador, enquanto o PAOK acabaria por criar a sua única jogada de perigo já em período de descontos.

Resta agora à equipa de Matosinhos jogar de igual forma em Salónica. À espera dos jogadores de Carlos Carvalhal vão estar uns “fanáticos” adeptos gregos, que prometem aquecer as bancadas do estádio do PAOK.

Exibição do Leixões

Foi uma exibição surpreendente a do Leixões. A equipa do terceiro escalão português chegou mesmo a banalizar o PAOK, da primeira divisão da Grécia. De facto, os comandados por Carlos Carvalhal provaram a todos os amantes do futebol, que o desporto-rei também é bem jogado nas divisões inferiores.

Atitude do PAOK

A formação helénica saiu do Estádio do Mar com um resultado bastante bom, tendo em conta aquilo que produziu. Talvez por não terem levado em conta o valor do Leixões, os gregos foram reduzidos a um aglomerado de jogadores que não conseguiu mostrar a qualidade do seu futebol.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)