Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Liedson não cura angústias

Na primeira vez em que repetiu o onze neste campeonato, pondo oficialmente fim à teoria da rotatividade que impôs à equipa enquanto esteve na Liga dos Campeões, Paulo Bento viu o Sporting assinar uma meia hora inicial muito interessante, mas não se livrou de alguma ansiedade quando, nos últimos instantes, viu a equipa intranquila a defender a vantagem mínima conseguida frente a uma Académica que, na verdade, nunca foi realmente ameaçadora. No fim, valeu um golo de Liedson, o quinto do brasileiro na Liga e o quinto que os ‘leões’ conseguem de canto na prova.
17 de Dezembro de 2006 às 00:00
Liedson voltou a reencontrar-se com os golos e ontem apontou um que rendeu os três pontos
Liedson voltou a reencontrar-se com os golos e ontem apontou um que rendeu os três pontos FOTO: Manuel de Almeida, Lusa
O Sporting entrou muito bem, parecendo interessado em ganhar vantagem quanto antes. Moutinho, a actuar como 10, mantinha ligada uma equipa que beneficiava da criatividade de Nani para abrir brechas na direita e dos movimentos inesperados de Tello para desequilibrar à esquerda. Liedson era o destinatário de todo o futebol dos médios e quase marcou aos 7’, quando respondeu de cabeça a um excelente cruzamento de Tello e viu Pedro Roma desviar para canto com uma bela defesa. Os cantos, aliás, iam-se sucedendo no ataque ‘leonino’ – foram dez nos primeiros 25 minutos, o último dos quais após mais um lance em que, recebendo um cruzamento de Caneira, Liedson quase marcou, vendo dois remates frustrados, o primeiro pelo guarda-redes e o segundo por um defesa.
Ao décimo canto, contudo, Liedson marcou mesmo: Moutinho arrumou a habitual cobrança curta no lixo, cruzou para o segundo poste, Tonel atrapalhou a saída de Roma e o ‘Levezinho’, solto ao segundo poste, fez o golo sem sequer saltar. O Sporting transformava a superioridade clara (7-0 em remates até aí) em vantagem no marcador e abria caminho a algum empertigamento da Académica. Contudo, as situações de perigo não surgiam e Manuel Machado foi obrigado a fazer substituições ofensivas. Começou por introduzir Gyanó, continuou com Gelson, acabou com Dionattan, mas pouco mais conseguiu do que dar espaço aos criativos ‘leoninos’ para colocarem Liedson em situação de marcar.
O goleador falhou uma recarga a um remate potente de Ronny, só perante Roma (57’), e permitiu a saída do guarda-redes da Académica quando o mesmo Ronny ganhou a linha de fundo e o deixou em situação privilegiada para ampliar a vantagem (aos 66’). Paulo Bento resolveu então precaver-se, trocando Ronny por Custódio para reforçar o eixo central defensivo, mas a equipa reagiu mal. Recuou, recuou e acabou com o credo na boca, mas com os três pontos no bolso.
POSITIVO: MEIA HORA INICIAL
O Sporting esteve muito bem até fazer o golo. Paredes encontrou o registo e o local ideais, Moutinho escolhia bem os caminhos, Tello surpreendia com desmarcações e variações de flanco, Nani não caíra nos exageros individualistas que lhe estragaram a exibição no segundo tempo e Liedson aparecia sempre no final da equação. Difícil é explicar porque a equipa parou de jogar.
NEGATIVO: BUENO, PORQUÊ?
Paulo Bento insiste, mas é difícil perceber porquê. Ontem, Bueno fez um remate, de cabeça, mas torto. De resto, as conclusões foram para Liedson. Das três, uma: ou é uma estranha coincidência, ou Bueno não se coloca em posição para receber a bola, ou são os próprios colegas que, olhando para os zero golos no seu registo, vêem onde ele está e mandam a bola para o outro lado.
FICHA DO JOGO
Local: Estádio José Alvalade, em Lisboa (41.411 espectadores)
Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal)
SPORTING: Ricardo, Caneira (Abel, 58m), Tonel, Miguel Veloso, Ronny (Custódio, 71m), Paredes, João Moutinho, Tello, Nani, Liedson e Bueno (Alecsandro, 68m). Treinador: Paulo Bento.
ACADÉMICA: Pedro Roma, Alexandre (Dionattan, 69m), Danilo, Kaká, Roberto Brum (Gelson, 60m), Paulo Sérgio, Miguel Pedro (Gyano, 46m), Lino, Filipe Teixeira, Dame e Nestor Alvarez. Treinador: Manuel Machado.
Marcador: 1-0, Liedson (26m)
Acção disciplinar: cartões amarelos - Nestor Alvarez (47m), Gelson (74m), Alecsandro (90 1m) e Tello (90 2m)
Melhor jogador: Tello
NOTAS
BENTO SATISFEITO
O técnico do Sporting destacou mais uma vitória ‘leonina’. “O Sporting mereceu ganhar. Podíamos ter resolvido o jogo mais cedo. Pelo que produzimos não merecíamos ter sofrido nos últimos minutos”, afirmou Paulo Bento.
CASA QUASE CHEIA
As previsões dos responsáveis ‘leoninos’ acabaram por se concretizar e o Estádio José Alvalade registou uma das melhores casas do ano, com mais de 40 mil espectadores.
SOLIDARIEDADE
A poucos dias no Natal e no último jogo antes do final do ano, o Sporting convidou cinco instituições de solidariedade no âmbito da iniciativa ‘Sporting Solidário’.
FABIO ROCHEMBACK
Os adeptos do Sporting não esquecem o brasileiro. Várias tarjas um pouco por todo o estádio pediram o regresso de Rochemback, que, ao que parece, está a tentar sensibilizar o Middlesbrough tendo em vista o regresso a Alvalade.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)