Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

MADAÍL VAI A SEGUNDO EXAME NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Gilberto Madaíl vai ser chamado na próxima semana à Assembleia da República para explicar à Comissão Parlamentar de Acompanhamento do Euro’2004 o que correu mal no Mundial da Coreia e do Japão.
2 de Julho de 2002 às 23:54
Madaíl foi ontem ouvido no Parlamento, mas recusou-se a dar explicações sobre o fiasco da selecção no Mundial, por ter sido convocado na qualidade de presidente da Sociedade Euro’2004 e considerar que a comissão não tinha “legitimidade” para o questionar sobre o Campeonato do Mundo.

"A organização do Euro’2004 não interfere na carreira da selecção”, disse perante a comissão, optando depois por ironizar: “Isso só aconteceria se fosse para acordar com a UEFA a passagem directa da selecção para a meia-final ou final".

Só que os deputados entendem que o esclarecimento sobre o que correu mal no Mundial pode ajudar à organização do Euro’2004 e vão convocar Madaíl, na qualidade de presidente da FPF, para o questionar sobre o comportamento da selecção na competição do Oriente.

O presidente da comissão, o socialista Laurentino Dias, disse ontem ao Correio da Manhã que o órgão a que preside tem toda a legitimidade para pedir explicações a Madaíl sobre o Mundial e revelou que entre os membros da comissão existe a intenção de o fazer.

“Existe a opinião generalizada dentro da comissão de que é necessário ouvir o Dr. Madaíl na qualidade de presidente da FPF. Na próxima quarta-feira haverá uma reunião e a comissão irá deliberar se o convoca”, afirmou o dirigente, frisando que o líder federativo “poderia ter resolvido o assunto já hoje (ontem)” se não se tivesse recusado a responder às perguntas dos deputados.

Contactado pelo CM, Gilberto Madaíl afirmou que, caso venha a ser convocado, terá de ponderar qual a atitude a tomar: “Logo veremos. Terei de analisar quem me convoca, em que qualidade e quais os motivos”.

Madaíl questionou mesmo a legitimidade da audiência de ontem: “É algo duvidoso porque a Euro’2004 é uma empresa de capitais privados”.

Entretanto, o secretário de Estado do Desporto, Hermínio Loureiro, avisou que a construção dos novos estádios tem de ser acelerada.

“As obras têm de ter um ritmo mais elevado”, disse. Os recintos de FC Porto e Sporting são os que se encontram mais atrasados.
Ver comentários