Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Mais demérito nosso que mérito do Inter

José Couceiro não poupou críticas à sua equipa após a derrota por 1-3, em San Siro, que afastou o FC Porto dos quartos-de-final da Liga dos Campeões. O técnico “azul-e-branco” falou dos erros que a sua jovem equipa não deveria ter cometido, perante um Inter bem mais experiente.
16 de Março de 2005 às 00:00
“O FC Porto demonstrou que ainda tem muito que crescer para jogar ao mais alto nível, porque continua a falhar nos momentos cruciais. Sabíamos que não podiamos jogar no nosso meio-campo, cometemos erros e temos culpa no que se passou hoje porque permitimos que eles crescessem”, afirmou o técnico.
E por isso Couceiro não hesita em dizer que não fossem estes erros e o resultado teria sido outro. “Em certa medida há mais demérito nosso do que mérito do Inter. Tivemos várias condicionantes na preparação deste jogo. No entanto, uma vez mais ficou provado que o mínimo erro contra uma equipa como o Inter é fatal”, explicou o técnico portista.
No jogo de ontem Couceiro optou por um esquema de três centrais – que foi escolhido, segundo o próprio, “para suster o jogo interior do Inter” –, e apostou na utilização de Cláudio Pitbull em detrimento de Quaresma, que acabaria por entrar ao intervalo: “Coloquei Quaresma porque é mais rápido nas transições, embora não esteja no seu melhor. Foi por isso que não jogou de início, mas quando entrou fez quatro remates, um dos quais esteve perto do golo”.
Também Jorge Costa era o espelho da desilusão portista. Depois de dois anos a dominar a Europa, o FC Porto sai da ‘Champions’ pela porta pequena. “É claro que estamos tristes. Pelo que se passou em campo não há nada a dizer. Viemos a Milão para discutir a eliminatória, mas quem comete erros, na Liga dos Campeões, como os que cometemos hoje, está condenado a morrer. Este não é o FC Porto que estou habituado a ver”, concluiu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)