Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Major quer os 250 mil euros

O major Valentim Loureiro pretende reaver a caução de 250 mil euros, que pagou há um ano, aquando da sua detenção, no processo ‘Apito Dourado’, decorrendo um recurso na Relação do Porto para esse efeito.
31 de Maio de 2005 às 00:28
A juíza Ana Cláudia Nogueira aplicou em 23 de Abril de 2004 as medidas coactivas do caso ‘Apito Dourado’ a Valentim Loureiro mas sem haver no processo qualquer tipo de informação sobre as capacidades financeiras do autarca.
Supreendido na ocasião com o valor, equivalente a 50 mil contos, requereu então poder prestar garantia bancária equivalente, o que é habitual neste tipo de casos. A magistrada recusou e Valentim, com dinheiro emprestado, depositou os 250 mil euros à ordem do Tribunal Criminal de Gondomar.
Entretanto, um novo requerimento solicitava que a garantia bancária substituísse o dinheiro, mas a magistrada voltou a negar a pretensão. Durante seis meses Valentim Loureiro teve mesmo o dinheiro e a garantia bancária à ordem do Tribunal.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)