Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Mantorras sem carta

Pedro Mantorras, o ponta de lança do Benfica, foi apanhado ontem pela PSP do Seixal a conduzir com uma carta angolana, documento que não é válido em Portugal.
6 de Março de 2007 às 00:00
Mantorras sem carta
Mantorras sem carta FOTO: D.R.
Detido de manhã, Pedro Manuel Torres (Mantorras) foi presente, ao início da tarde, ao juiz do Tribunal do Seixal que lhe decretou termo de identidade e residência (TIR) e o constituiu arguido.
Agora, “se quiser continuar a conduzir em Portugal, o futebolista terá de pedir à embaixada de Angola uma declaração que prove a legalidade da sua carta e, depois, solicitar à Direcção-Geral de Viação a troca do documento”, disse ao CM fonte da polícia.
Portugal reconhece como válidas quase todas as cartas de condução tiradas noutros países, mas dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) só reconhece as cartas brasileiras. “E só por seis meses”, frisou ao CM a mesma fonte, referindo que se um cidadão com um documento brasileiro permanecer mais tempo em Portugal e quiser conduzir terá de fazer o mesmo que Mantorras.
O ponta-de-lança do Benfica foi apanhado, pelas 09h40, numa operação stop na Torre da Marinha, Seixal, quando se dirigia para o Centro de Estágio do Benfica.
Ao volante de uma das suas viaturas, um Mercedes SLK, Mantorras foi interceptado pela PSP do Seixal, que lhe pediu a identificação e os documentos do carro.
Verificado o crime – condução sem habilitação legal –, o jogador foi encaminhado pelo agente que o interceptou ao Tribunal do Seixal. Ouvido pelo juiz já na presença do responsável jurídico do Benfica, Andrade e Sousa, foi-lhe atribuída a medida menos gravosa, TIR, pois “ele não tem antecedentes criminais”, adiantou ao CM a mesma fonte policial, acrescentando que “terá sido a primeira vez que foi interceptado a conduzir”.
O futebolista terá de se apresentar, dia 16, no tribunal para ser julgado, devendo ser condenado a pagar uma multa.
Mantorras saberia que a carta de condução que tem não é válida, pois espera que a mulher, quando regresse de Luanda, lhe traga os documentos para legalizar a situação.
PERFIL
Pedro Manuel Torres, natural de Sambizanga, Angola, onde nasceu a 18 de Março de 1982, perdeu o pai aos três meses e a mãe aos 16 anos. Depressa assumiu o papel de chefe de uma família pobre.
O futebolista rejeitado pelo Barcelona e aplaudido no Alverca dedica todos os golos aos pais. Nos braços, tem tatuados em caracteres chineses os nomes dos filhos.
Conhecido por Mantorras, veste a camisola do Benfica desde a época 2001/2002 - onde pouco joga após uma grave e prolongada lesão no joelho direito.
OUTROS CASOS
23/07/04
No regresso do estágio de pré-temporada do Benfica na Suíça, Pedro Mantorras foi detido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras no Aeroporto da Portela por falsificação do seu passaporte angolano. O internacional admitiu ter rasurado a data de validade do passaporte ao aperceber-se de que este estava caducado.
02/10/06
Pedro Mantorras num programa televisivo na SIC negou qualquer envolvimento amoroso com a manequim Filipa Gonçalves, boato este que veio a lume na imprensa cor-de-rosa. Para o jogador, o boato trouxe consequências a nível familiar, nomeadamente com os filhos de tenra idade, e afectou-o também na sua capacidade de jogador.
18/12/06
A Polícia Judiciária deteve um homem de 53 anos no Seixal, que tentou extorquir 115 mil euros a Pedro Mantorras. O suspeito, que afirmava ter ligações a guerrilheiros de um grupo de dissidentes da Frente de Libertação do Enclave de Cabinda, exigiu o dinheiro ao jogador sob a ameaça de represálias à família em Portugal e Angola, sobretudo aos filhos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)