Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Mão-cheia de golos em festival do leão

Uma mão-cheia de golos (5-0) e um futebol de encantar, vivo e objectivo, deliciaram ontem Alvalade no regresso do ‘leão’ aos triunfos para a SuperLiga.
14 de Fevereiro de 2005 às 00:00
Sá Pinto fez dois golos e dedicou-os à mãe, que ontem celebrou mais um aniversário
Sá Pinto fez dois golos e dedicou-os à mãe, que ontem celebrou mais um aniversário FOTO: Jorge Paula
Liedson precisou apenas de 45’ para bisar, e ainda teve tempo para oferecer uma prenda a Sá Pinto - outra grande exibição. Num final de tarde quase perfeito, Hugo Viana fechou as contas. E aí está (outra vez) o Sporting no ataque à liderança. Peseiro sabia bem da importância de um golo madrugador como tranquilizante para uma equipa carenciada de confiança. E, na perspectiva ‘leonina’, não poderia ter-se iniciado melhor a partida.
O regresso ao ‘melhor onze’ cedo deu benefícios. Liedson devolveu a alegria aos adeptos quando, com apenas 10 minutos decorridos, empurrou para golo. O Sporting, pensou-se, estava em condições de voltar a exibir o empolgante futebol que já esta época mostrou. E até o fez, só que a espaços. Porque o Rio Ave não tremeu e logo reagiu. Jacques impedia Paíto de subir pela esquerda, Evandro encostava em Rogério sobre o flanco oposto, sobrando ainda Gaúcho entre os centrais.
O Rio Ave até equilibrou, mas em escassos minutos, o Sporting ‘esfrangalhou’ a estratégia. A goleada chegaria num ápice e com momentos dignos de figurarem nos mais ilustres compêndios do futebol moderno. Aos 36’, Sá Pinto, de grande penalidade – mão de Franco – dilatou a vantagem, mas o melhor estava ainda para chegar e em dose dupla. Livre de Viana, cabeceamento rotativo de Liedson e novo golo do brasileiro. Alvalade vibrava ainda com o terceiro, já Sá Pinto bisava, concluíndo com mestria nova jogada colectiva a roçar a perfeição. Era o melhor Sporting da temporada.
Veio a etapa complementar... sem Liedson, até então a grande figura da equipa, mas com Mota, para adepto ver.
E com novo golo ‘leonino’, logo a abrir. Viana bem o merecia. Roubou uma bola, soltou Sá Pinto e correu para a área, onde cabeceou letal, dedicando o golo à sua filha recém-nascida, Sara. Só então o Sporting tirou o pé do acelerador, talvez a pensar no compromisso de quarta-feira, frente ao Feyenoord, para a Taça UEFA.
CLAQUES APOIAM TELES
As claques do Sporting deram ontem o seu apoio ao ‘vice’ Ribeiro Teles contra o presidente Dias da Cunha. “Hoje e sempre Benfica é m... Teles estamos contigo”, podia ler-se numa faixa da Juve Leo, enquanto o Directivo defendeu: “Estamos contigo campeão Teles”.
Teles colocou o lugar à disposição, por não concordar com a aproximação ao Benfica promovida por Dias da Cunha.
O jogo ficou também marcado pela insatisfação de Liedson quando Sá Pinto lhe tirou a bola para marcar o penálti do 2-0. Após o jogo, Sá Pinto revelou que está acordado que quem cria o penálti marca-o. Já Peseiro garantiu que Rochemback e Liedson são os marcadores preferenciais, mas que Sá Pinto também o pode fazer.
FICHA TÉCNICA
Local: estádio José de Alvalade (29.163 espectadores)
Árbitro: Mário Mendes (Coimbra)
SPORTING: Ricardo, Rogério, Polga, Beto, Paíto, Custódio, Rochemback (João Moutinho, 63m), Hugo Viana, Carlos Martins, Sá Pinto (Barbosa, 63m) e Liedson (Mota, 46m). Treinador: José Peseiro.
RIO AVE: Mora, José Gomes, Franco, Idalécio, Miguelito, Niquinha, Mozer, Junas, Jacques (Gama, 41m), Evandro (Saulo, 86m) e Gaúcho. Treinador: Carlos Brito
Acção disciplinar: Amarelos - Franco (35m), Mozer (41m), Junas (45m) e Hugo Viana (54m).
Marcador: 1-0, Liedson (11m); 2-0, Sá Pinto (36m, g.p.); 3-0, Liedson (45m); 4-0, Sá Pinto (46m); 5-0, Hugo Viana (53m).
Melhor jogador: Liedson.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)