Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Maradona apanhou boné de Federer

O astro argentino do futebol está a ser uma vedeta no torneio dos mestres tenistas. Fez questão de conhecer Federer e o suíço revelou: "Eu adoro futebol e ele quase que estava mais contente por me conhecer do que eu a ele". E deu-lhe um chapéu!
24 de Novembro de 2010 às 01:37
FEDERER, TÉNIS, MASTERS, MARADONA, RODDICK, NADAL, SODERLING
FEDERER, TÉNIS, MASTERS, MARADONA, RODDICK, NADAL, SODERLING FOTO: EPA

Mais um dia, mais dois encontros resolvidos em duas partidas. No total, a cimeira de final de ano no circuito profissional masculino ao mais alto nível já teve seis encontros entre os oito melhores tenistas do mundo - e apenas um teve de ser decidido numa terceira partida, precisamente aquele que apresentava a maior disparidade de rankings: Rafael Nadal (1º) e Andy Roddick (8º).

A jornada de terça-feira estava reservada apenas a confrontos do Grupo B e o prato forte do dia defraudou as expectativas, mas somente no que diz respeito ao equilíbrio; é que na qualidade de jogo viu-se um Roger Federer ao seu melhor diante de um Andy Murray que pareceu fazer figura de aluno numa aula de ténis.

À semelhança de 2009, Roger voltou a bater Andy na cimeira de final de ano no circuito profissional masculino - e se o ano passado o fez em três partidas, este ano resolveu a questão em dois sets sucintos. Foi uma prestação divinal e o ídolo Diego Armando Maradona nem precisou de recorrer à ‘mão de Deus' para ajudar Federer; como o cartaz ‘Federer is God' indica, o suíço é endeusado pelos seus adeptos e provou que ainda é capaz de se transcender - aniquilou Murray por 6-4 e 6-2. O campeonissimo foi mais empreendedor e causticou a pancada técnica de direita do britânico, servindo muito bem numa lição magistral de ténis total: só cedeu oito pontos no seu serviço, não enfrentou qualquer break-point, alinhou quatro ases e sobretudo manteve elevadas percentagens de sucesso tanto no primeiro como no segundo saque. Com uma percentagem de 44 por cento no seu primeiro serviço, Murray tornou-se presa fácil.

SODERLING TAMBÉM GANHOU

Mesmo que o escocês tivesse partido para o embate com um registo favorável no mano-a-mano (8-5) e vitórias nas finais dos dois Masters 1000 que jogaram entre ambos em 2010 (Toronto e Shanghai), já se sabe que nos torneios do Grand Slam ou no ATP World Tour Finals a motivação do helvético é um pouco maior. E, quem sabe, talvez a presença de Maradona no camarote da sua entourage tenha constituído um incentivo suplementar!

El Diego até serviu de barómetro para estabelecer uma diferença de estatuto entre Roger Federer e Andy Murray: na segunda-feira, o emergente escocês pediu a Maradona para tirar uma fotografia com ele nos bastidores do torneio; na terça-feira, Maradona sentou-se no camarote destinado ao séquito do campeoníssimo suíço. Mas há mais: Federer tem uma linha da Nike com a sua própria assinatura; Murray está a envergar uma reinterpretação de uma linha da Adidas que nos anos 80 tinha sido dedicada a Ivan Lendl. Mais uma: Murray é britânico mas o helvético é tão ou mais popular do que ele pela reacção do público que encheu as bancadas da Arena O2 em Londres.

O triunfo vespertino de Federer coloca-o praticamente nas meias-finais, já que lidera o Grupo B com duas vitórias em dois sets. No entanto, não está tudo definido; no encontro da noite mediram forças os dois jogadores derrotados na jornada inaugural da respectiva poule de apuramento e o sueco Robin Soderling (já anunciado como vedeta na próxima edição do Estoril Open) bateu o espanhol David Ferrer por 7-5 e 7-5. Ou seja: Murray e Soderling têm agora uma vitória e uma derrota, enquanto Ferrer só apresenta derrotas. A última jornada do Grupo B, na quinta-feira, decidirá tudo e poderá ser necessário recorrer à contabilidade de sets e do número de jogos conquistados para definir os dois semifinalistas..

NADAL HOMENGEADO E CHAPÉUS HÁ MUITOS

Logo depois do convincente sucesso de Roger Federer, o seu rival Rafael Nadal baixou ao court para uma cerimónia que o homenageou como número um mundial de 2010 - e o bom espírito reinante entre os dois rivais ficou bem patente no facto de Robert Federer, o pai de Roger, ter permanecido no court para aplaudir a consagração do sucessor do seu filho (não só na liderança do ranking como até no galardão do desportivismo, atribuído pelos tenistas do circuito).

Enquanto isso, o próprio Roger Federer foi tomar duche e conviver com... o incontornável Maradona, chegando atrasado à conferência de imprensa por ter estado a tirar fotografias com o antigo número 10 para pôr no seu Facebook. «Sou um grande adepto de futebol», referiu o suíço, que durante a sua juventude repartiu o ténis com os treinos no FC Basileia; «e foi um prazer encontrá-lo. Disseram-me que ele é um grande fã de ténis e um grande fã meu... acho que ele quase que estava mais entusiasmado por me conhecer do que eu a ele, e eu estava muito excitado!». No que diz respeito à sua vitória, disse: «Chega a ser chocante o quão bem eu joguei. O Andy caiu direitinho na armadilha...».

Quanto a Maradona, fez questão de posar para a fotografia com o seu novo chapéu - um boné vermelho com as iniciais RF que Roger Federer lhe deu. O argentino já disse que irá acompanhar diariamente o torneio e para já tem sido uma autêntica mascote para os três melhores tenistas mundiais, que são também os seus preferidos na ausência de qualquer tenista argentino: Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic. Nesta quarta-feira tem um dilema: Nadal e Djokovic jogam entre si...

PROGRAMA

QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO

Grupo A:

-- Andy Roddick-Tomas Berdych, às 14 horas

-- Rafael Nadal-Novak Djokovic, às 20 horas

QUINTA-FEIRA, 25 DE NOVEMBRO

Grupo B:

-- Andy Murray- David Ferrer

-- Roger Federer-Robin Soderling

 

RESULTADOS

DOMINGO, 21 DE NOVEMBRO

Grupo B:

-- Andy Murray-Robin Soderling, 6-2 e 6-4

-- Roger Federer-David Ferrer, 6-1 e 6-4.

SEGUNDA-FEIRA, 22 DE NOVEMBRO

Grupo A:

-- Novak Djokovic-Tomas Berdych, 6-3 e 6-3

-- Rafael Nadal-Andy Roddick, 3-6, 7-6 e 6-4.

TERÇA-FEIRA, 23 DE NOVEMBRO

Grupo B:

-- Roger Federer-Andy Murray, 6-4, 6-2

-- Robin Soderling-David Ferrer, 7-5, 7-5

FEDERER TÉNIS MASTERS MARADONA RODDICK NADAL SODERLING
Ver comentários