Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Mesquita exige honestidade

Mesquita Machado disse ontem que o Sp. Braga se vai sagrar campeão nacional "se os homens de negro [árbitros] se portarem bem e forem isentos" e considerou que o jogo com o Benfica (27 de Março, na Luz) não será decisivo para o título.
19 de Março de 2010 às 00:30
Mesquita Machado não quer o árbitro Paulo Baptista no Benfica-Braga
Mesquita Machado não quer o árbitro Paulo Baptista no Benfica-Braga FOTO: direitos reservados

"Eu, que ando no futebol há muitos anos, sei distinguir muito bem o que são erros humanos de erros propositados", avisou.

O presidente socialista da autarquia de Braga (há 34 anos) e antigo dirigente dos arsenalistas adiantou não ter preferência por qualquer árbitro, mas considerou que a chamada de Paulo Baptista, juiz do ano passado (o Braga perdeu 1-0, golo em fora-de-jogo de David Luiz), "seria uma provocação".

Sobre os incidentes da 1ª volta, que culminaram com a suspensão de três jogadores bracarenses (Vandinho por três meses, Mossoró e Ney por três e dois jogos), o edil lembrou que foram provocados por Di María: "Os espectadores viram e as imagens mostram que foi ele que fez a provocação, pontapeando a bola e enviando uma cuspidela em direcção ao banco do Braga."

A concluir, Machado desejou que o recurso ao castigo de Vandinho, "um pilar da equipa", seja decidido na próxima reunião do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol e que, como "injustiça" que foi, seja revisto.

Entretanto, ontem, em jogo particular realizado no Estádio 1º de Maio, o Sporting de Braga venceu o Vianense (II B) por 7-0. Diogo Valente, Meyong, Peña e Adriano (dois cada) marcaram os golos da partida.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)