Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Metade para cada um

O animado duelo entre Serrano e Armacenenses, duas equipas do concelho de Silves, terminou com um resultado justo, um empate (1-1), mas em nenhum momento do jogo houve equilíbrio: os forasteiros dominaram amplamente no primeiro tempo e poderiam ter chegado ao intervalo a vencer por margem folgada, enquanto no segundo tempo os locais foram muito superiores e perderam várias ocasiões para dar a volta ao marcador.
19 de Março de 2007 às 00:00
A equipa do Serrano perdeu, na segunda parte, várias ocasiões para decidir o jogo a seu favor
A equipa do Serrano perdeu, na segunda parte, várias ocasiões para decidir o jogo a seu favor FOTO: Nuno Eugénio
Se há partidas com duas partes distintas, esta foi um caso notório: que mudança do primeiro para o segundo período! O Armacenenses esteve sempre por cima até ao intervalo, marcou no melhor momento da tarde (remate violento e colocado de Madeira, de fora da área, na sequência de um canto) e dispôs de uma mão cheia de ocasiões para alargar a vantagem, mas o Serrano empatou no primeiro lance depois do reatamento, com Marinho a esgueirar-se muito bem entre os centrais e a desviar a bola de Luís Costa, e, a partir daí, os locais tiveram o jogo na mão, sem, contudo, conseguirem dar a estocada num adversário muito permeável na sua defesa.
Num só lance, David I por duas vezes e Cenoura perderam o golo de forma incrível. Mais tarde foi David II e o Serrano, que tanto necessitava dos três pontos na fuga à despromoção, não chegou ao triunfo por culpa própria, devido a falhas clamorosas na finalização. Curiosamente, ao cair do pano e num dos poucos lances de perigo criados pelo Armacenenses na segunda parte Zé Afonso quase deu o triunfo à sua equipa.
O árbitro esteve bem. Nada a dizer na expulsão de Madeira: o jogador dirigiu (dispensáveis) palavras insultuosas a um dos auxiliares.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)