Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Milan apela para jogar a Champions

O AC Milão recorreu ontem do seu afastamento da Liga dos Campeões, na sequência do caso de fraude desportiva que afectou o futebol italiano, sendo que a decisão final deverá ser conhecida hoje.
25 de Julho de 2006 às 00:00
A formação milanesa, que escapou da despromoção à II divisão, procura anular a decisão de 14 de Julho que afastou o clube das competições europeias e que lhe deu uma penalização de 15 pontos no início da próxima época.
Menos sorte tiveram Juventus, Lazio e Fiorentina, equipas que foram relegadas ao segundo escalão, sendo que à equipa de Turim foram retirados os títulos de campeã conquistados nas duas últimas épocas.
Os advogados da ‘vecchia signora’ argumentaram domingo que os dois últimos títulos não deveriam ser retirados, mesmo que tivesse ficado provada alguma irregularidade. Lazio (começa a série B com menos sete pontos) e Fiorentina (menos 12) também apresentaram recursos contra as suas sentenças.
Além dos castigos aos clubes, mais 19 pessoas, entre as quais dirigentes desportivas e árbitros, foram castigadas. O principal rosto deste escândalo, que rebentou no dia 4 de Maio, é Luciano Moggi, director-geral da Juventus, que foi apanhado em escutas telefónicas a encomendar árbitros para manipular resultados. É suspeito de liderar um grupo que controlava jogadores, Imprensa, Banca e até a Polícia.
Hoje é o limite que a UEFA estabeleceu para que a federação italiana de futebol lhe comunicasse quais serão os clubes que vão participar nas competições europeias.
A liderar o futebol italiano nesta fase conturbada está uma mulher: Virgínia Filippo. É ela que tem a seu cargo a reorganização após o ‘calciocaos’.
Ver comentários