Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Morte de Puerta ensombra futebol

Antonio Puerta morreu ontem, aos 22 anos, vítima dos danos causados pelas múltiplas paragens cardíacas sofridas no jogo de sábado, para a liga espanhola, entre a sua equipa, o Sevilha e o Getafe. Puerta tinha desmaiado no relvado e faleceu devido a profundas lesões cerebrais e disfunções multi-orgânicas.
29 de Agosto de 2007 às 00:00
Puerta não resistiu às sucessivas paragens cardíacas e faleceu ontem
Puerta não resistiu às sucessivas paragens cardíacas e faleceu ontem FOTO: Julio Muñoz/Epa
A notícia gerou grande consternação em Espanha e no mundo do futebol, sentimento que foi agravado quando se soube que o malogrado jogador ia ser pai, dentro de um mês e meio, do primeiro filho. Uma tragédia em toda a linha.
Puerta era um dos defesas mais promissores do país vizinho. Jogava no Sevilha e era lateral esquerdo. Em Outubro do ano passado obteve a sua primeira e única internacionalização A por Espanha, na derrota em casa frente à Suécia. O futebolista havia renovado recentemente o contrato com o Sevilha e era visto como um potencial capitão de equipa do seu clube do coração. Esta época, o seu nome chegou a ser apontado como reforço do Real Madrid, campeão espanhol.
No passado sábado, Puerta cumpriu frente ao Getafe o último jogo da sua vida. Aos 29 minutos de jogo caiu desamparado no relvado, com uma paragem cardíaca. A pronta intervenção da equipa médica e o recurso ao desfibrilhador ajudaram à reanimação do atleta, que saiu pelo próprio pé para o balneário, onde sofreu nova paragem cardíaca, seguida de outras cinco a caminho do Hospital Virgen del Rocío, que lhe provocaram graves lesões cerebrais. Esteve internado mais de dois dias, mas sempre com um prognóstico médico altamente reservado. Ainda ontem, às 12h07, os médicos tinham dado conta numa comunicação à imprensa que e evolução de Puerta era “desfavorável”. Às 13h30, Puerta viria a falecer.
A equipa do Sevilha tomou conhecimento da terrível notícia em Atenas, onde iria defrontar o AEK para a 2.ª mão da 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões. O jogo foi adiado para a próxima segunda-feira. A comitiva, da qual faz parte o português Duda, regressou de imediato a Espanha.
O corpo de Antonio Puerta estará hoje em câmara ardente no Sanchez Pizjuán, Estádio do Sevilha. O funeral é hoje. A próxima jornada da Liga Espanhola terá um minuto de silêncio e foi designada jornada de luto. As mensagens de condolências vêm de todo o lado.
MORTES NA RELVA
FEHÉR TOMBA AOS 24 ANOS
Miklos Fehér deixou consternado o mundo do futebol, quando uma paragem cardio-respiratória lhe tirou a vida. Foi no dia 25 de Janeiro de 2004, num jogo em que o Benfica, clube que representava, defrontou o V. Guimarães. O húngaro caiu inanimado e os esforços para o reanimar de nada valeram. Faleceu no Hospital de Guimarães. Na memória fica o último sorriso, quando foi admoestado com um cartão amarelo.
CORAÇÃO DE PAVÃO PAROU
Fernando Pascoal Neves, mais conhecido por Pavão, caiu fulminado no relvado do Estádio das Antas, ao serviço do FC Porto, num jogo frente ao Vitória de Setúbal. Médio dos dragões, faleceu no dia 16 de Dezembro de 1973, logo a seguir a ter feito um passe longo para um companheiro. Tinha uma grande capacidade técnica que o levou a ser considerado um dos melhores jogadores do seu tempo.
FOÉ TEVE UM ANEURISMA
Marc-Vivian Foé estava a representar a selecção do seu país – os Camarões – num jogo frente à Colômbia, para a Taça das Confederações de 2003, quando caiu inanimado no relvado ao minuto 72. Acabou por falecer no balneário, vítima de um aneurisma. A autópsia determinou uma hipertrofia cardíaca de origem congénita. Foé jogava na posição de médio e morreu com apenas 28 anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)