Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Mundial em risco: África do Sul começa a ficar longe

Messi, Ronaldo e Ribéry. Juntos valem perto de 250 milhões de euros e arriscam ficar a ver o Mundial da África do Sul pela televisão. A organização já deve estar a deitar as mãos à cabeça e o caso não é para menos: tratam-se de três dos melhores jogadores do Mundo.
12 de Setembro de 2009 às 00:00
Cristiano Ronaldo: Capitão da Selecção portuguesa, melhor jogador do Mundo em título, futebolista mais caro do planeta e detentor da mais elevada cláusula de rescisão, mil milhões de euros
Cristiano Ronaldo: Capitão da Selecção portuguesa, melhor jogador do Mundo em título, futebolista mais caro do planeta e detentor da mais elevada cláusula de rescisão, mil milhões de euros

É um cenário que poucos imaginavam no início do apuramento: Portugal, Argentina e França a lutar, nos jogos finais, por lugares de qualificação via play-off. Mas é a realidade. Portugal tem 13 pontos e ocupa o terceiro lugar do Grupo 1. Para manter vivo o sonho do Mundial, tem de ganhar os dois jogos que lhe restam (Hungria e Malta) e esperar que a Suécia perca pontos de forma a conseguir o segundo lugar do grupo, o tal que dá acesso a uma eliminatória final.

A Argentina de Messi, após a dupla derrota com o Brasil (3-1) e Paraguai (1-0), está em quinto lugar da zona sul-americana, ou seja, fora dos quatro que garantem apuramento directo. A ‘celeste’ tem ainda dois jogos por disputar, frente ao Peru e ao Uruguai, e é imperial que vença ambos para depender de si própria. O quinto lugar, contudo, ainda permite sonhar, pois garante um play-off com o quarto colocado da zona centro norte-americana.

Por sua vez, a selecção francesa de Ribéry, segunda classificada do Grupo 7 europeu, com 15 pontos, alimenta apenas uma pequena esperança de chegar ao primeiro lugar e carimbar directamente a passagem para África do Sul (a Sérvia está em primeiro lugar, com 19 pontos, a duas jornadas do fim).

O impacto de um Mundial sem Messi, Ronaldo e Ribéry seria brutal. Tanto no plano desportivo como financeiro. Dentro do campo não haverá a magia a que estes astros habituaram os adeptos. Fora das quatro linhas são as receitas e as audiências televisivas que se ressentem, pois são as estrelas que arrastam as multidões e enchem os estádios.

Como diz Fernando Torres, avançado da selecção espanhola (já com lugar garantido na África do Sul), "um Campeonato do Mundo sem Argentina, França e Portugal não seria normal".

CALENDÁRIO

Faltam realizar cinco jogos no Grupo 1. Tudo se vai decidir em somente quatro dias, no mês de Outubro. Uma semana de emoções fortes.

10/10/09 Dinamarca - Suécia

10/10/09 Portugal-Hungria

14/10/09 Dinamarca-Hungria

14/10/09 Suécia-Albânia

14/10/09 Portugal-Malta

PAÍSES JÁ QUALIFICADOS

ÁFRICA

África do Sul (na qualidade de país organizador)

Gana

EUROPA

Holanda

Inglaterra

Espanha

AMÉRICA DO SUL

Brasil

Paraguai

ÁSIA

Coreia do Sul

Coreia do Norte

Austrália

Japão

ALIANÇA NÓRDICA JÁ TEM HISTORIAL

O empate da Dinamarca na Albânia evita um ‘arranjinho nórdico’ com a Suécia. E poderia mesmo ser real. Basta relembrar o jogo da fase de grupos do Euro’2004, quando o único resultado que qualificava ambos era o 2-2. Foi esse o resultado.

CLASSIFICAÇÃO DO GRUPO 1

Equipa J P V E D G

1 Dinamarca 8 18 5 3 0 15-4

2 Suécia 8 15 4 3 1 9-3

3 PORTUGAL 8 13 3 4 1 10-5

4 Hungria 8 13 4 1 3 9-5

5 Albânia 9 7 1 4 4 5-9

6 Malta 9 1 0 1 8 0-22

CENÁRIOS PARA PORTUGAL

As contas não estão fáceis para a selecção nacional. Mas tudo é ainda possível. Até a qualificação directa, por incrível que pareça. Para já, há apenas uma verdade absoluta: a selecção nacional precisa que terceiros (Suécia ou Dinamarca) percam pontos. Eis os cenários:

QUALIFICAÇÃO DIRECTA

Portugal vence os dois jogos (Hungria e Malta), a Suécia ganha à Dinamarca e estas duas equipas perdem os jogos com Albânia e Hungria, respectivamente, em casa. Um cenário altamente improvável, mas matematicamente possível.

QUALIFICAÇÃO VIA PLAY-OFF

Portugal vence os dois jogos que lhe faltam e a Suécia perde pontos, ou na Dinamarca ou com a Albânia, em casa. Caso a Suécia perca apenas dois pontos nestes jogos (um empate), fica em igualdade pontual com Portugal. O desempate será feito pelo critério da melhor diferença de golos marcados e sofridos. Se Portugal tiver melhor diferença fica em segundo lugar (com 19 pontos nunca será o pior segundo lugar dos nove grupos) e acede ao play-off, a ser jogado contra um segundo classificado de outra poule, em dois jogos.

SEM QUALIFICAÇÃO

Se a Suécia ganhar os seus dois jogos, Portugal está fora do Mundial. Se Portugal perder mais pontos, a Suécia também os pode perder, visto estar actualmente com uma margem de dois pontos de vantagem.

Ver comentários