Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

NÃO CHOREM POR ESTA ARGENTINA

A Argentina empatou ontem (1-1) e disse adeus ao Mundial. A seleção sul-americana repetiu assim o fracasso de 1962, no Chile, quando também foi eliminada na primeira fase. Os suecos ficaram em primeiro lugar no Grupo F e, no domingo, vão defrontar o Senegal, nos oitavos-de-final.
12 de Junho de 2002 às 21:14
Os argentinos partem do Mundial como favoritos
Os argentinos partem do Mundial como favoritos
No primeiro tempo, a Argentina dominou por completo, mas teve muitas dificuldades para furar a forte muralha defensiva dos suecos. Mesmo assim, dois bons golpes


de cabeça de Sorin obrigaram Hedman a intervenções complicadas. Já nos descontos, Caniggia, no banco, viu o cartão vermelho, por protestos. A expulsão reflectiu o nervosismo dos argentinos por não conseguir marcar. Nervosismo que aumentou com o golo (59m) de Anders Svensson, de livre directo. Os “alvicelestes” reagiram, e partiram desesperados para o ataque. Do outro lado, porém, encontraram um opositor certinho a defender, que não dava espaços aos habilidosos adversários. No entanto, aos 83 minutos, o empate esteve à vista: Zanetti, na área, rematou forte, respondendo Hedman com uma grande defesa.


A Suécia, todavia, não se limitou a ver jogar. Recorria ao contra-golpe sempre que podia e, no minuto 85, uma espectacular jogada de Andreas Andersson acabou com uma não menos sensacional defesa de Cavallero, embora a bola ainda tenha tocado na barra.


Apesar do susto, equipa Marcelo Bielsa não tirou o pé do acelerador e, aos 87 minutos, chegou ao empate, por Crespo, na recarga a um penálti de Ortega que Hedman defendera.


Mal o árbitro terminou a partida, Gabriel Batistuta não escondeu a desolação e chorou compulsivamente...
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)