Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

“Não devíamos ter jogado a final da Taça”, afirma Jorge Jesus

Técnico reconhece que podia ter voltado ao Sporting com Sousa Cintra.
José Durão 18 de Julho de 2018 às 01:30
Entrevista ao treinador Jorge Jesus
Jorge Jesus feliz na nova equipa
Jorge Jesus  está em estágio com o Al Hilal na Áustria
Entrevista ao treinador Jorge Jesus
Jorge Jesus feliz na nova equipa
Jorge Jesus  está em estágio com o Al Hilal na Áustria
Entrevista ao treinador Jorge Jesus
Jorge Jesus feliz na nova equipa
Jorge Jesus  está em estágio com o Al Hilal na Áustria
Jorge Jesus revelou esta terça-feira em entrevista ao CM/CMTV que pediu ao seu advogado e ao presidente Sousa Cintra que anulassem a cláusula de confidencialidade imposta na rescisão acertada entre o técnico do Al Hilal e Bruno de Carvalho, anterior presidente dos leões.

"Fiz esse pedido", sublinhou o técnico, que está em estágio com a equipa árabe na Áustria.

O treinador reconheceu que poderia ter voltado a Alvalade depois de Sousa Cintra ter assumido a SAD. "Podia ter voltado. Fez tudo para que regressasse, mas já tinha dado a minha palavra e isso para mim vale mais do que qualquer contrato", disse o treinador do Al Hilal, que elogiou Sousa Cintra por aquilo que tem vindo a fazer pelo clube.

Sobre os jogadores que rescindiram, Jesus revelou ao CM/CMTV ter falado com alguns. "Se é o que diz o teu coração faz isso. Regressa", disse.

O treinador relembrou, depois, o ataque "de terror" a Alcochete. Depois desse dia, sentiu que muito dificilmente continuaria no Sporting. "Nunca mais voltei a Alcochete. Foi o Paulinho quem teve de ir buscar as minhas coisas", revelou.

Sobre a final da Taça de Portugal, Jesus reconheceu que a equipa não a deveria ter jogado. "Depois da final senti-me impotente, mais do que após o episódio em Alcochete", disse.

Outro dos temas abordados nesta entrevista foi a relação com Luís Filipe Vieira. "Desde o momento em que cheguei a acordo com o Benfica o relacionamento está bom", afirmou Jesus, admitindo que após o segundo ano no Sporting falava com o presidente do Benfica "constantemente".

Sobre o futuro, não fecha a porta a nenhuma equipa em Portugal. "Não podemos ter um projeto muito bem definido. Aqui há uns anos se me dissessem que ia treinar na Arábia eu dizia ‘és maluco’."
Ver comentários