Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

NÃO ME METO EM MAIS AVENTURAS DESTAS

Confirmou-se ontem aquilo que há muito se adivinhava na Reboleira. A saída de João Alves do comando técnico da equipa do Estrela da Amadora, após oito derrotas em apenas dez jornadas. O último desaire, em casa, diante do Paços de Ferreira, que levou os ‘tricolores’ para a última posição, terá sido a ‘gota’ de água, mas ainda ontem o técnico revelava vontade em continuar, apesar de algumas críticas.
4 de Novembro de 2003 às 00:00
“Tivemos uma reunião em função dos resultados não terem sido os melhores e chegou-se à conclusão que o melhor para o futuro do Estrela era haver uma mudança. No entanto, acredito que ainda poderíamos dar a volta a esta situação”, revelou João Alves, assumindo que correu um risco quando optou por continuar esta época à frente da equipa: “Perdemos a espinha dorsal e tínhamos um orçamento muito baixo. Logicamente que as coisas tinham algo de interrogação. É o segundo erro consecutivo, depois de ter subido a Académica e ter continuado, agora foi igual com o Estrela. O que posso garantir é que não me meto em mais aventuras sem estar perfeitamente consolidado em termos de clube”.
QUARESMA É A SOLUÇÃO
Até ao fim do mês, altura das eleições, Miguel Quaresma, responsável pelo futebol juvenil, comandará os destinos da equipa. O presidente demissionário, Carlos Franco, aposta assim na ‘prata’ da casa, sem, contudo, deixar de agradecer a João Alves. “Os treinadores e os clubes são iguais em todo o mundo e o João Alves não foi feliz. Não é por mau relacionamento, nem por problemas pessoais, simplesmente não teve sorte. Só temos de lhe agradecer por tudo o que fez”, contou Franco, convicto de que ainda é possível inverter a situação actual. “Falta muito campeonato, ainda estamos na primeira volta e estou convencido que há algo a fazer. O Estrela não baixou a bandeira”, disse.
LEMOS JÁ TEM TÉCNICO
Guilherme Lemos, até agora o único candidato às eleições do Estrela da Amadora, revelou ontem ao CM que já tem acordo com um treinador se ganhar o sufrágio de 29 de Novembro. O candidato derrotado nas últimas eleições não quis tecer comentários à demissão de João Alves, mas elogiou a atitude da actual direcção em não contratar nenhum técnico até às eleições.
“Se vencer as eleições já tenho um treinador escolhido. É português e será ele a tomar conta da equipa a partir do dia 30 de Novembro”, afirmou Guilherme Lemos, revelando, também, que aposta num antigo internacional português para o lugar de director desportivo. “É preciso alguém para tomar conta do futebol. E para isso nada melhor que um ex-internacional que jogou num dos ‘grandes’ de Lisboa. Ele é conhecedor do futebol português e acredito que será uma mais-valia para o Estrela”, salientou.
Ver comentários