Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

NÃO SINTO O MEU LUGAR EM PERIGO

Fernando Santos voltou ontem a dissecar a prematura eliminação da Taça de Portugal, em Alvalade, ante o V. Setúbal, apontando a falta de atitude revelada pelos seus jogadores como a origem do desaire.
19 de Dezembro de 2003 às 00:00
Já Liedson, que completou 26 anos no fatídico dia, apelou à calma, mas espera que a equipa não repita os mesmos erros. "Temos de tirar uma lição do que se passou. Entrámos um pouco desconcentrados e quando acordámos já estava 1-0 para o nosso adversário. Tentámos mas não conseguimos reverter o marcador", disse o avançado. Quanto ao técnico, aparentando extrema serenidade – "é para disfarçar, pois não consegui pregar olho", disse – não deixou de assumir o mal-estar provocado pela derrota mas recusou, pelo menos para já, o cenário de deixar o Sporting como consequência dos maus resultados."Tenho uma azia muito grande mas tenho de ser o primeiro e levantar a cabeça. Não sinto que tenha o lugar em perigo", disse, depois do treino realizado em Alvalade.
E continuou sempre num tom optimista: "Não tenho nenhuma razão para pensar nisso. Não sinto minimamente o meu lugar em perigo. Estamos numa época de transição, sabemos que temos um projecto e que o estamos a cumprir. Tenho total apoio da Direcção", garantiu Santos, preferindo apontar metas para o futuro: "Temos um caminho a percorrer. Fomos eliminados da UEFA e Taça de Portugal, mas vamos continuar com o mesmo empenho e determinação. Jogamos sábado e hoje o mais importante era mostrar confiança. O primeiro a levantar-se tinha de ser eu para dizer ao grupo: Vamos a isto que se faz tarde!".
Falando enquanto líder do grupo de trabalho, e apesar de assumir a derrota, Fernando Santos voltou a dirigir o seu discurso para dentro. "Não fujo às responsabilidades mas o que disse aos jogadores é que têm de ter sempre a mesma atitude que tiveram nos jogos com o Boavista, Estrela da Amadora ou Braga. Porque com essa atitude já demonstrámos que podemos ser uma equipa forte e ganhadora. Não faz sentido mudar", adiantou o treinador, recorrendo à série de triunfos consecutivos arrancados antes do encontro com os sadinos: "Sempre que apresentámos essa atitude ganhámos e o que disse no balneário é que quando se tem essa atitude vencem-se os jogos. Não se tratou de dar votos de confiança à equipa porque isso cheira-me mal. Disse-lhes é que não podemos falhar em termos de atitude, vontade e confiança. A última coisa que admito é que os jogadores desconfiem deles próprios", garantiu.
Desconfiados estarão os adeptos. É que o Sporting, ainda antes da quadra natalícia, já perdeu duas das três provas em que estava inserido. Fernando Santos diz que entende a contestação mas garante estar em harmonia com os dirigentes. "Não encaro a possibilidade de sair. Primeiro porque sei o que estou a fazer, segundo porque há, até este momento, uma grande sintonia com a SAD. O apoio que sinto é total e inequívoco. Há confiança no trabalho que faço todos os dias", explicou.
NEM UMA PALAVRA
Os defesas Beto e Rui Jorge estiveram ontem numa sessão de autógrafos na ‘Action Zone’, na sede da Vodafone. Um dia depois da derrota ante o V. Setúbal para a Taça de Portugal, os dois jogadores revelaram boa disposição para com os adeptos, mas não prestaram declarações à comunicação social.
JOGADOR DO ANO
Pedro Barbosa recebeu ontem à noite o prémio ‘Stromp’ para o jogador do ano e comentou a eliminação da Taça perante o V. Setúbal: “Toda a equipa está triste pois não esperávamos ser eliminados de dois dos objectivos traçados para esta temporada. No entanto, queremos é que chegue o próximo jogo para mudar o rumo dos acontecimentos”.
Outro dos galardoados na cerimónia foi o presidente Dias da Cunha que recebeu o troféu de dirigente do ano.
SOLTAS 'LEONINAS'
POUCOS ADEPTOS
O Sporting regressou ontem de manhã ao trabalho, poucas horas depois da prematura eliminação da Taça de Portugal, pelo Vitória de Setúbal. O treino realizou-se em Alvalade, à porta aberta mas os adeptos presentes bem poderiam contar-se pelos dedos. Pouco mais de uma dezena de simpatizantes ‘leoninos’ acompanharam o apronto.
SEM CONTESTAÇÃO
Calmos e ordeiros. Assim se podem caracterizar os poucos adeptos ontem presentes em Alvalade, a acompanharem o treino. É que apesar da derrota em casa, na véspera, não se fez sentir contestação em torno da equipa e seus responsáveis. A tristeza é grande em Alvalade mas desta feita, ao contrário de outras vezes, não se perdeu a calma.
ACÇÕES EM QUEDA
As acções da Sporting, SAD, caíram ontem 1,07 por cento, para 2,77 euros, na sessão que se seguiu à eliminação ‘leonina’ da Taça de Portugal. Ainda assim, a reacção não pode considerar-se forte, até porque apenas 60 acções trocaram de mãos, pelo que a nota dominante, por parte dos investidores, foi... a indiferença.
RED PAGA 400 MIL PELA RELVA
A RED, empresa que havia celebrado um contrato com o Sporting para enraizamento e manutenção do relvado do Alvalade XXI, pagou aos ‘leões’ cerca de 400 mil euros (80 mil contos) de indemnização, evitando assim um processo em tribunal que poderia acarretar graves prejuízos também ao nível da imagem da empresa. Além da verba em causa, a RED abdicou do contrato de manutenção que estava oficializado. É que os dirigentes ‘leoninos’, depois de todos os problemas que assolaram o tapete e que obrigaram mesmo à sua substituição, desde há muito haviam manifestado a sua intenção de quebrar o vínculo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)