Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

NOVO DESAIRE DO DRAGÃO

O FC Porto somou ontem a sua segunda derrota consecutiva no Estádio do Dragão em jogos da SuperLiga. Depois da derrota diante o Boavista (1-0), os portistas voltaram a perder, desta feita frente ao Beira-Mar, que ao invés somou a sua primeira vitória na era Cajuda. Num jogo pouco brilhante, os ‘dragões’ dominaram, mas não foram eficazes e com o resultado de ontem somaram dez pontos perdidos no seu reduto.
4 de Dezembro de 2004 às 00:00
A poucos dias do decisivo confronto com o Chelsea, de nada valeu ao FC Porto tomar conta do jogo desde o primeiro minuto e criar inúmeros lances para golo junto à baliza do Beira-Mar. Mais pelo desacerto dos dianteiros portistas – McCarthy estava castigado e Derlei foi remetido ao banco –, do que pelo rigor defensivo dos aveirenses.
Apesar das muitas alterações efectuadas por Víctor Fernández, como que poupando alguns das mais importantes unidades do plantel para o decisivo jogo da Liga dos Campeões frente ao Chelsea, que poderá valer a qualificação para a segunda fase da milionária prova da UEFA. Os ‘dragões’ eram os donos e senhores da bola, surgindo com grande à-vontade junto à baliza de Paulo Sérgio. Curiosamente, até foi o ex-aveirense Areias a abrir as hostilidades, só que não foi suficientemente rápido no remate, quando o guarda-redes do Beira-Mar não agarrou à primeira um livre apontado por Diego
Era o primeiro sinal de perigo junto à baliza aveirense e muitas outras se seguiram, mas a todas a equipa de Manuel Cajuda foi pondo cobro. Pouco depois, o portista Hélder Postiga não teve instinto matador quando foi servido por Areias e, como por castigo, a formação de Aveiro chegava logo a seguir ao golo na sequência de um lance de bola parada. O aveirense Beto foi chamado a cobrar um livre frontal e não perdoou. A bola saiu rasteira junto ao poste direito da baliza de Nuno, para desespero dos adeptos portistas.
No reatamento, nem com Pinto da Costa já na tribuna presidencial, após ter estado cerca de três horas no tribunal de Gondomar, os portistas chegaram ao golo. Fernández ainda recorreu a Maniche, Derlei e a Hugo Almeida para virar o jogo, mas sem sucesso.
Numa altura em que o domínio portista se acentuava e os aveirenses recuavam cada vez mais no terreno, Beto foi expulso a onze minutos do fim. Mesmo com mais um jogador, o FC Porto revelou pouca concentração e apesar de algumas boas situações não conseguiu marcar. O Beira-Mar só defendia e conseguiu segurar a vantagem até final.
FELICIDADE NO GOLO E MÉRITO A CONTROLAR
Manuel Cajuda venceu ontem o seu primeiro jogo ao serviço do Beira-Mar, mas optou por dar os parabéns ao “grande espírito” da sua equipa: “A equipa fez um jogo inteligente. Fomos felizes no golo, mas tivemos mérito em controlar o FC Porto. Não estava habituado a estar sem vencer durante tanto tempo, mas não é esta vitória que me deixa mais gordo ou mais magro. Sempre soube que a equipa ia para caminhos seguros”.
Do lado do FC Porto, Víctor Fernández sublinhou o facto da equipa ter “falhado demasiadas ocasiões de golo”. Já Costinha mostrou-se “triste” por não poder presentear Pinto da Costa com um triunfo, afirmando que frente aos aveirenses, os ‘dragões’ não jogaram como uma equipa.
FICHA DE JOGO
ESTÁDIO: Estádio do Dragão
ÁRBITRO: Mário Mendes
EQUIPAS:
FC PORTO: Nuno; Ricardo Costa, Pedro Emanuel, Pepe e Areias; Bosingwa, Costinha e Diego; Quaresma, Hélder Postiga e Carlos Alberto. Suplentes: Bruno Vale, Hugo Leal, Derlei, César Peixoto, Maniche, Seitaridis e Hugo Almeida.
BEIRA-MAR: Paulo Sérgio; Ribeiro, Filipe, Alcaraz e Tininho; Marcelinho, Ricardo, Beto e Rui Lima; McPhee e Tanque Silva. Suplentes: Srnicek, Mário Loja, Heitor, Artur, Levato, Malá e Kingsley.
MARCADORES:
Beto, 38m
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)