Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

O MARACANÃ DAS DUAS RODAS

Lance Armstrong parte hoje para uma das mais emblemáticas etapas do ‘Tour’ com a camisola amarela e tudo joga a seu favor para chegar vitorioso a Paris. O Alpe d’Huez, o Maracanã do ciclismo, é um símbolo do ‘Tour’ e um local que, geralmente, determina o vencedor da competição.
21 de Julho de 2004 às 00:00
É que dos 23 ciclistas que já chegaram líderes a esta estância de esqui nos Alpes, 18 acabaram por vencer a prova, pelo que Armstrong tem tudo para chegar ao inédito 6.º título no ‘Tour’. Mas há que contar com Basso, Ullrich e Virenque.
A festa está mais que prometida para esta apaixonante tirada, onde são esperados cerca de 900 mil (!!!) espectadores, ansiosos por saber quem vai ter mais pernas para chegar em menos tempo aos 1850 metros de altitude. É uma das mais temidas subidas e este ano surge num formato inédito: um contra-relógio individual, de 15,5 quilómetros, e as suas 21 curvas em cotovelo prometem fazer estragos.
Joaquim Agostinho já tocou no céu em 1979, ao vencer esta etapa, com 1,57 minutos de vantagem sobre Alban, tendo sido atribuído o seu nome à curva 17, situada a 965 metros. Nesse ano, Agostinho chegou a Paris com o 3.º lugar da geral.
Nesta 91.ª edição, a partida será dada em Bourg-d’Oisans, 1130 metros abaixo do Alpe d’Huez. O primeiro quilómetro e meio servirá de catapulta, já que os restantes vão ser disputados com uma inclinação média de 7,9 por cento (atinge um máximo de 14).
Apesar de ser um contra-relógio, esta tirada, devido à sua inclinação (é de categoria especial), é mais propícia aos trepadores natos. Assim, a expectativa é ainda maior. Marco Pantani, o malogrado ‘pirata’ italiano, é o detentor da melhor marca na ascensão, completando a subida em 37.35 minutos.
Resta esperar para saber quem conquista, mais uma vez, o céu dos Alpes...
ARMSTRONG DE AMARELO E AZEVEDO EM 6º
Armstrong reconquistou ontem a camisola amarela. O texano demonstrou toda a sua superioridade, vencendo a 15.ª etapa. José Azevedo voltou a ser essencial no sucesso do seu companheiro de equipa. O português terminou no 8.º posto, a 53 segundos do seu líder, e subiu para o espectacular 6.º lugar da geral. Azevedo, no entanto, não quer entrar em euforias e diz mesmo que o apoio dos portugueses na estrada não o motivam “minimamente” para atacar uma posição mais alta.
As prestações de Azevedo não têm sequer passado despercebidas a Eddy Merckx, também ele cinco vezes campeão. “É um grande corredor e, daqui a uns anos, quando for líder de uma equipa, poderá tornar-se num futuro vencedor do ‘Tour’.
CLASSIFICAÇÕES
ETAPA
1.º Lance Armstrong (US Postal) - 4:40.30h
2.º Ivan Basso (Team CSC) - m.t.
3.º Jan Ullrich (T-Mobile) - a 3s
4.º Andreas Kloeden (T-Mobile) - m.t.
5.º Levi Leipheimer (Rabobank) - m.t.
6.º Richard Virenque (Quick Step-Davitamon) - m.t.
7.º Mickael Rasmussen (lRabobankl) - m.t.
6.º José Azevedo (US Postal) - m.t.
9.º Jens Voigt (Team CSC) - m.t.
10.º Carlos Sastre (Team CSC) - m.t.
GERAL
1.º Lance Armstrong (US Postal) - 67:13.43h 2.º Ivan Basso (Team CSC) - a 1.25m
3.º Andreas Kloeden (T-Mobile) - a 3.22m
4.º Francisco Mancebo (Illes Balears) - a 5.39m
5.º Jan Ullrich (T-Mobile) - a 6.54m
6.º José Azevedo (US Postal) - a 7.34m
7.º Georg Totschnig (Gerolsteiner) - a 8.19m
8.º Thomas Voeckler (Brioches La Boulangere) - a 9.28m
9.º Pietro Caucchioli (Alessio Bianchi) - a 10.10m
10.º Levi Leipheimer (Rabobank) - a 10.58m
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)