Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

O PRESIDENTE SOU EU...

Dois dias foi quanto Del Neri prometeu calar-se, antes de se pronunciar sobre a sua saída do FC Porto. Não chegou a tanto. O treinador italiano concedeu ontem uma entrevista a um jornal de Verona, onde revela alguns detalhes do que diz ser a sua verdade sobre o processo que conduziu ao despedimento.
9 de Agosto de 2004 às 00:00
O artigo vem nas páginas do jornal ‘Arena’ e ‘Gigi’ começa com uma frase forte: “Devo ter desagradado a alguns ‘senadores’, que me fizeram pagar por isso”. Cauteloso, Del Neri não avança com nomes, e é o próprio jornal quem (inopinadamente?) sugere Jorge Costa como mentor de uma ‘revolta de balneário’. O treinador não confirma e avança: “Não sei quem foi, o que sei é o que aconteceu.
Nunca tentei subverter o modo como os jogadores deveriam actuar. O que quis foi implantar um modelo de jogo mais agressivo, um pouco diferente do que existia. Os portugueses têm a sua maneira própria de jogar, pelo que era tudo uma questão de ter paciência e saber esperar”, conta Del Neri. É de novo o jornalista que assume uma declaração atribuída a Jorge Costa, que terá ido falar com Pinto da Costa nestes termos: “Isto não pode continuar assim...”. Del Neri garante ter ficado espantado com esta atitude, argumentando que esperava outra atitude, mais frontal, do capitão dos campeões europeus.
Para Del Neri, o argumento do atraso no regresso a Portugal foi apenas um álibi. Enumerando razões, ‘Gigi’ diz que a imprensa portuguesa sempre lhe torceu o nariz. Argumenta que também a diferença de idioma não o ajudou. Isto porque, refere, os resultados foram bons: “dois meses de trabalho, 6 jogos amigáveis e 4 vitórias. Entre estas, uma vitória sobre o Liverpool, que não é uma equipazinha”.
Sobre o facto de Pinto da Costa –segundo o jornalista italiano – não lhe perdoar o desinteresse por Diego e Carlos Alberto, as duas estrelas brasileiras contratadas para dar alegria ao futebol da equipa, Del Neri reagiu assim: “Mas como se permite ele chegar a essas conclusões? O presidente sou eu...”.
REUNIÃO COM VICTOR FRENANDEZ
Os responsáveis portistas prosseguem contactos em diversos mercados para suprimir a vaga aberta após a saída de Del Neri. Assim, emissários do FC Porto reuniram-se ontem com o técnico espanhol Victor Fernandez na cidade de Vigo, mas à hora do fecho desta edição ainda era desconhecido o resultado final, embora tudo aponte para que o novo timoneiro estivesse encontrado. A oficialização do acordo está apenas presa por pormenores.
Também contactado foi Claude Puel (Lille), mas recusou. Segundo o clube “o técnico decidiu respeitar os princípios de fidelidade e honestidade que guiaram toda a sua carreira e confirmar os seus compromissos com o clube, Direcção e adeptos”.
APONTAMENTOS
SEQUESTRO
Del Neri diz ter sido “sequestrado” à chegada ao Porto, na madrugada de sábado, onde foi conduzido para uma reunião com a SAD, como se de um ‘preso’ se tratasse.
VERDADES
O ex-técnico do FC Porto mostrou-se disposto a contar ‘tudo’ sobre a sua saída dentro em breve. “Agora fala ele, quando chegar a altura, falo eu”, diz sobre Pinto da Costa
FÁTIMA
Ainda em Portugal, Del Neri, esteve ontem em Fátima, na companhia dos seus adjuntos. À noite tinha previsto uma deslocação a Penafiel para ver o jogo entre a equipa local e o Sporting.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)