Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Olhanense teve sorte na lotaria

O Olhanense qualificou-se ontem para a IV eliminatória da Taça de Portugal, ao derrotar o Sertanense por 4-1 na marcação de grandes penalidades, resultado que não reflecte o que se passou durante os 120 minutos (0-0). A equipa da casa dominou grande parte do tempo e só não seguiu em frente porque falhou na concretização.
18 de Outubro de 2010 às 00:30
Os jogadores do Olhanense festejam efusivamente após terem garantido a qualificação para a IV eliminatória da Taça de Portugal
Os jogadores do Olhanense festejam efusivamente após terem garantido a qualificação para a IV eliminatória da Taça de Portugal FOTO: Paulo Novais/Lusa

O Sertanense entrou a todo o gás e instalou-se desde o primeiro minuto no meio-campo do Olhanense. Aos 18 minutos, Gil cobrou um livre na direita e na recarga rematou ao lado, na melhor oportunidade da primeira parte.

Com o evoluir do tempo, a equipa de Faquirá respondeu em contra-ataque, mas apenas criou uma única ocasião de perigo, quando Yontcha rematou à trave. No entanto, a jogada foi bem anulada, pois o avançado ajeitou a bola com a mão.

No segundo tempo, o Olhanense entrou mais determinado e instalou-se junto à área do adversário, mas por pouco tempo. Os locais continuaram a mostrar mais vontade de vencer, mas voltaram a falhar na finalização. Contudo, podiam ter inaugurado o marcador aos 85 minutos, quando o árbitro Vasco Santos deixou por marcar um penálti contra os algarvios, por derrube de Ventura, provocando a ira das 1500 pessoas que assistiam à partida. No prolongamento, a formação local teve a melhor oportunidade: Júlio ficou isolado frente ao guarda-redes e atirou ao lado. Nas grandes penalidades, o Olhanense foi mais feliz: Ricardo Batista defendeu uma e viu um outro remate acertar na trave.

"SERTANENSE TEM BOA EQUIPA"

Daúto Faquirá criticou o estado do relvado e salientou que foi um triunfo "arrancado a ferros". "A equipa do Sertanense valorizou muito a nossa vitória. Trata-se de uma boa equipa. Fizemos tudo para não ir a prolongamento, mas não foi possível. Acabámos por ser felizes nas grandes penalidades", frisou o técnico do Olhanense.

Já José Bizarro elogiou a postura do Sertanense: "Os jogadores estão revoltados por não termos passado. Jogámos contra uma grande equipa, mas não se notou a diferença que existe entre elas."

ALGARVIOS A MEIO GÁS

Bastou acelerar nos momentos decisivos para o Portimonense levar de vencida o esforçado Cinfães, que deixou excelente impressão para uma equipa da 3ª divisão.

Um golo do estreante Renatinho, que deixou a ideia de que pode ser o tão aguardado número dez, e um ‘golaço’ de Fangzhuo, quando os visitantes ainda sonhavam com o prolongamento, deram a vitória à equipa primodivisionária, que jogou apenas o quanto baste, a pensar já na visita do Benfica na próxima jornada. Num jogo sem casos e calmo, onze amarelos e até um vermelho foram exagerados.

Taça de Portugal
Ver comentários