Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

ONCE E BANESTO ENFRENTAM GRAVE CRISE

A 65.ª edição da Volta a Portugal, que se inicia depois de amanhã em Albufeira, apresenta um pelotão com maioria de ciclistas espanhóis, nada menos de 54 (o maior número de sempre) contra apenas 41 portugueses, assinalando-se ainda a presença de corredores de mais 18 nacionalidades.
4 de Agosto de 2003 às 00:00
Azevedo tem futuro incerto
Azevedo tem futuro incerto
Aos espanhóis que têm encontrado lugar nas equipas portuguesas juntaram-se agora os que integram as formações estrangeiras.
Esta situação de superioridade espanhola, que se repete de ano para ano, reveste significado especial no momento em que a crise no ciclismo espanhol se agudiza, de forma algo preocupante na medida em que nela estão envolvidas as mais importantes formações espanholas, nada menos do que as ‘históricas’ ONCE e iBanesto.com.
REUNIÃO DECISIVA PARA A ONCE
Manolo Sáiz, director-desportivo, reúne-se hoje com a administração da ONCE a fim de decidir o futuro da equipa, uma vez que o seu patrocinador antecipou, por um ano, a já anunciada extinção do contrato.
A situação de alguns ciclistas é delicada, nomeadamente a do português José Azevedo, que hoje regressa de Nova Iorque, onde ontem disputou um circuito, pois tem contrato por mais um ano.
O líder Joseba Beloki, cujo contrato termina este ano, já admite a possibilidade de regressar às origens, à Euskaltel-Euskadi, e Igor Galdeano, o número dois da equipa, também está a estudar algumas propostas que lhe têm sido apresentadas, algumas delas do estrangeiro.
‘AJUDA’ LUSA À BANESTO
José Miquel Etxebárria, ‘manager’ da Banesto, que ao longo de 14 anos na elite do ciclismo internacional teve em Pedro Delgado e Miguel Induráin as suas principais figuras, segundo revelou ao CM, entre os potenciais patrocinadores conta-se uma empresa portuguesa que se escusou a revelar.
Ver comentários